Hidroginástica

Pós-graduação lato sensu em Jornalismo (Faculdade Cásper Líbero, 2014)
Graduação em Educação Física (Complexo Educacional FMU, 2007)

Uma modalidade física onde a ausência da gravidade diminui o risco de contusão, proporcionando bem-estar ao praticante que não sentirá o suor em seu corpo por conta da água o hidratando constantemente. A Hidroginástica é a principal modalidade para terceira idade e pessoas em recuperação motora.

Este exercício nasceu após a evolução da hidroterapia que começou na Europa durante o século XVIII. Médicos brasileiros prescreveram banhos de mar para seus pacientes apenas no início do século XX. E foi na Alemanha que a ginástica na água nasceu chegando ao Brasil por volta dos anos 1980. Inicialmente seu público-alvo era apenas idosos, cenário que mudou ao longo dos anos, incluindo outros grupos de pessoas como adultos e gestantes com objetivos distintos.

Atualmente sua prática possui várias finalidades como emagrecimento, principalmente para pessoas obesas, melhora da saúde, ganho de massa muscular, interação com outras pessoas, preparação ao parto para as futuras mães e a sensação de prazer durante e após a atividade.

Com o passar do tempo, vertentes surgiram a partir da Hidroginástica como Acquagym, Ginástica Aquática, Hidroatividade e Aquaeóbica. Perceberam que poderiam adaptar diferentes tipos de atividades na água e criaram a Hidroioga, Hidrodança, Hidrocapoeira, Hidro Power e Hidro local. Além de aulas onde os alunos não tocam no fundo da piscina como Deep water e Deep runner (corrida na água). Essa são apenas algumas das possibilidades desenvolvidas, existe uma infinidade delas.

Para o professor aproveitar ao máximo o ganho no aluno e evitar qualquer tipo de lesão é necessário um amplo conhecimento do setor aquático, que se dividem em:

  • Flutuação: Resultado da força contrária a gravidade chamada de empuxo para cima.
  • Pressão hidrostática: A tensão exercida sobre o corpo que quanto mais profundo estiver maior será. Causa a resistência na execução do movimento.
  • Viscosidade: Atrito provocado na água, que pode variar entre alto e baixo conforme a velocidade do exercício ou temperatura da piscina.
  • Densidade: Cálculo da massa com o volume. Se o corpo for mais denso que a água ele afunda. O peso dos ossos com o nível de gordura e massa magra de indivíduo interferem em sua capacidade de flutuação.
  • Temperatura: As piscinas variam em média de 27 a 29ºC.

Uma aula de hidroginástica tem duração de 40 minutos ou até mesmo uma hora, isso vai depender do cronograma e regras do estabelecimento. O ideal é que o professor separe a aula em três partes: a inicial como aquecimento, a principal com os exercícios de aumento da intensidade e a última com relaxamento e volta a calma.

Os movimentos realizados pelos alunos são feitos justamente contra a força exercida pela água que é de baixo para cima. Essa forma de sobrecarga pode contar com materiais para aumentar a resistência, como halter, acquatubo ou macarrão, caneleira, luva, colete, bola, prancha ou qualquer outro material aquático.

A música é o fator principal durante a atividade, já que os alunos estão lá muitas vezes para se sociabilizar e se divertir. O ritmo proporciona o estímulo necessário para os praticantes.

Os benefícios adquiridos com a hidroginástica são:

  • Melhora cardiorrespiratória e vascular;
  • Ganho de força e massa magra;
  • Melhora da coordenação motora e equilíbrio;
  • Proporciona prazer e qualidade de vida.

Referências Bibliográficas:

http://www.efdeportes.com/efd154/aspectos-historicos-hidroginastica-saude-qualidade-de-vida.htm

http://www.fef.unicamp.br/fef/sites/uploads/deafa/qvaf/aprendendo_nadar_cap4.pdf

Arquivado em: Educação Física