Yôga

Há muito tempo atrás, precisamente há mais de cinco mil anos, na Índia, nasceu o Yôga. Seu criador, Shiva ou Natarája, Rei dos Bailarinos, a gerou de forma instintiva, executando alguns movimentos complexos, porém de intensa beleza. Assim surgiu, ainda sem nome, esta ancestral filosofia de vida. Mais tarde ela foi batizada com o termo sânscrito Yôga, que significa união, pois encadeia corpo, mente e emoções.

Foto: Nina Buday / Shutterstock.com

Foto: Nina Buday / Shutterstock.com

Esta técnica conduz seus praticantes a um estado de intenso relaxamento, calma psíquica, recolhimento interior, lucidez mental e percepção interna. Ao mesmo tempo ela contribui para o aumento da flexibilidade e o vigor do organismo físico.

Com o passar do tempo, Shiva foi preparando seus discípulos para perpetuarem esta arte milenar, a qual foi passada fielmente de geração para geração. Hoje há vários tipos de Yôga, distinguindo-se um do outro pela ênfase em um ou outro atributo.

Na técnica conhecida como Ásanas, os exercícios físicos robustecem o organismo, intensificam sua mobilidade e evita a incidência de diversas enfermidades. Eles são realizados com plena consciência corporal, para se evitar lesões. Este método também permite o desbloqueio de pontos tensionados, que interrompe o fluxo vital.

No Pránáyáma privilegiam-se os músculos da respiração, eles são exercitados e condicionados a agir da maneira mais correta, para que assim possam sorver melhor o oxigênio. Em uma etapa posterior, o corpo emocional é ativado e, desta forma, aprendemos a trabalhar com nossas emoções, resgatando a harmonia interna. Há também uma ação no transporte energético, o qual é aprimorado.

No Yoganidra o praticante adquire o hábito de relaxar seus músculos e cada ponto do corporal com consciência de seus atos. Neste momento ele é induzido a imaginar uma determinada cor ou mentalizar um lugar tranqüilo, uma paisagem natural, para que se possa realizar uma transferência do tumultuado dia-a-dia para a percepção de outras realidades mais serenas.

Através da Meditação, durante a qual se permanece imóvel e silencioso, mergulhado em si mesmo, é possível atingir um estado de autoconhecimento, de visão interior dos nossos reais desejos e motivações, bem como dos nossos verdadeiros sentimentos.

O Yôga age praticamente em todos os nossos corpos, mas o que o distingue realmente de outras técnicas é que ele não atua apenas na superfície, mas também em todos os órgãos internos e em todas as glândulas, que são igualmente massageados. No organismo as costas, o peito, o sistema digestivo e os pulmões são os mais favorecidos por esta técnica. Seu exercício freqüente traz ao praticante um bem-estar, uma qualidade de vida ímpar.

Fontes
http://www.portaldeyoga.com.br/oqueyoga.php
http://www.yogasite.com.br/yogasite/yoga.htm

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.