Zinco

Por Emerson Santiago
É denominado zinco o elemento químico de número atômico 30, de massa atômica 65 uma. e símbolo Zn. Seu nome tem origem na palavra alemã "Zink", e sua mais antiga utilização é encontrada na obra do alquimista Paracelso, no século XV. O elemento era produzido na Índia no século XIII, em forma metálica, extraído da calamina e materiais orgânicos. Na Europa, sua "descoberta" ocorre em 1746 por obra do químico alemão Andreas Sigismund Marggraf, que o isolou através da fusão da calamina com carvão vegetal.

Um dos elementos mais comuns na crosta terrestre, o zinco é encontrado na atmosfera, solo, água e está presente em todos os alimentos. Em sua forma pura (ou metálica) o zinco é um metal branco-azulado, brilhante, de baixo ponto de fusão, com boa fusibilidade e pode ser facilmente deformado a frio ou a quente. É razoável condutor de eletricidade e queima no ar com uma chama vermelha, emitindo fumaça branca do óxido formado. Reduzido a pó, constitui material explosivo e pode explodir em chamas caso armazenado em locais úmidos.

O zinco é um elemento essencial ao organismo humano em pequenas quantidades. Presente em diversos alimentos, estes podem conter teores de zinco variando de cerca de 2 partes de zinco por milhão (2 ppm) partes de alimentos (por exemplo, folhas vegetais) a 29 ppm (carnes, peixes, aves).

O elemento se faz presente ainda na água potável. Assim, através da ingestão de água ou outras bebidas, pode-se absorver altos níveis de zinco, caso o líquido esteja armazenado em recipientes de metal ou de fluxo através de revestidos com zinco, a fim de resistir à ferrugem.

Há vários usos para o elemento na indústria moderna, entre eles, pode-se citar:

  • uso como desodorante e conservante de madeiras (Cloreto de zinco);
  • componente de uma variedade de ligas: latão, bronze para molas, com níquel e prata para tipografia, ligas para soldas, etc.;
  • ligado ao cobre e alumínio em peças fundidas sob pressão, as quais são amplamente usadas nas indústrias automobilística, de equipamentos elétricos e outras;
  • litopônio, mistura de sulfato de bário e sulfeto de zinco, é um importante pigmento branco.
  • loções contendo calamina são usadas no tratamento de erupções de pele.
  • sulfeto de zinco, empregado em painéis luminosos, telas de cinescópios e lâmpadas fluorescentes.
  • óxido de zinco é usado como pigmento não tóxico para tintas e em algumas borrachas e plásticos, como estabilizador. Também em cremes e pomadas devido às propriedades adstringentes, sabões, baterias, etc.;
  • telhas metálicas para construção civil.

Bibliografia:
Zinco - Zn. Disponível em <http://www.mspc.eng.br/quim1/quim1_030.asp>. Acesso em: 09 dez. 2011.

Zinco. Disponível em <http://www.eco-usa.net/toxics/quimicos-p/zinco.shtml>. Acesso em: 09 dez. 2011.

Foto: http://healthzones.blogspot.com/2010/08/zinc-helps-prevent-pneumonia-in-elderly.html