Eslováquia

Por Emerson Santiago
A República da Eslováquia (Slovenská Republika, em eslovaco) é um país independente, sem saída para o mar, localizado no centro da Europa. Seu território de 49.035 km² é equivalente ao estado do Espírito Santo, e sua capital é Bratislava. A maioria dos 5,4 milhões de habitantes do país são eslovacos (80,7%), sendo que húngaros (cerca de 8,5%) ciganos roma (10%) tchecos, rutenos, ucranianos, alemães e poloneses constituem importantes minorias.

A maioria dos cidadãos eslovacos são cristãos, em sua maior parte (62%) de católicos romanos, além de uma minoria luterana (5,9%). Cerca de 3.000 judeus permanecem no país, de uma população estimada de 120.000 antes da Segunda Guerra Mundial. O idioma oficial do Estado é eslovaco. Como membro pleno da União Europeia, a moeda utilizada no país é o Euro. A Eslováquia divide fronteiras com a Áustria a oeste, República Checa e Polônia a norte, a Ucrânia a leste e a Hungria a sul. Apesar de sua moderna economia, a Eslováquia tem uma significativa população rural, onde cerca de 46% dos eslovacos vivem em aldeias de menos de 5.000 pessoas, e 14% em aldeias de menos de 1.000.

As raízes da moderna Eslováquia estão ligadas ao Império da Grande Morávia, fundado no início do século nono. O império ruiu depois de apenas oitenta anos, resultado das intrigas políticas e de forças invasoras. Como resultado, a Eslováquia se torna parte do Reino da Hungria nos próximos mil anos, e Bratislava se torna a capital húngara por quase dois séculos e meio após os turcos ocuparem parcialmente o território da atual Hungria no início do século XVI.

Os austríacos irão se tornar a potência dominante na região no século XIX. Em 1846, Ludovit Stur realiza a codificação da língua eslovaca, núcleo inicial do moderno nacionalismo eslovaco. Intelectuais eslovacos gradualmente irão se aproximar dos tchecos, também governados pelos austríacos. Com a dissolução do Estado Austro-Húngaro na I Guerra Mundial, surge a Checoslováquia, nação unindo dois povos de culturas bem similares.

A Eslováquia experimenta uma breve autonomia em meio à Segunda Guerra, como um estado-fantoche em mãos dos nazistas. Após a guerra, a unificação com os checos é restaurada, mas agora sob um regime socialista amparado pela União Soviética. Nas próximas quatro décadas prevalece um rigoroso regime comunista, interrompido brevemente pela Primavera de Praga de 1968, duramente reprimida pelos tanques enviados pela União Soviética. Em 1989, uma série de protestos públicos, conhecidos como a "Revolução de Veludo" levou à queda do regime comunista.

Em junho de 1992, o parlamento eslovaco votou para declarar a soberania, e a federação se dissolveu pacificamente a 1 de janeiro de 1993. A Eslováquia torna-se membro da OTAN em 29 de março de 2004, e da União Europeia a 1 de maio de 2004.

Bibliografia:
Slovakia country profile (em inglês). Disponível em: <http://news.bbc.co.uk/2/hi/europe/country_profiles/1108491.stm>. Acesso em: 14 set. 2012.
Slovakia (em inglês). Disponível em: <http://www.state.gov/r/pa/ei/bgn/3430.htm>. Acesso em: 14 set. 2012.
Mapa: http://biega.com/slovakia.html