Experiência de Oersted

Curta e Compartilhe!

Por Leopoldo Toffoli
Na antiguidade não se distinguiam bem os fenômenos elétricos dos fenômenos magnéticos, pois não se suspeitava que pudesse haver qualquer relação entre eles.

Foi no ínicio do século XIX (em 1820) que o físico dinamarquês Hans Christian Oersted (1777-1851) descobriu, através de um experimento que realizou, Experiência de Oersted, que um fio retílineo conduzindo corrente elétrica gera ao seu redor um campo de indução magnética.

A sua experiência foi feita da seguinte maneira:

Primeiramente coloca-se um fio condutor retilíneo ligado a uma bateria, inicialmente com a chave aberta para que não haja fluxo de corrente elétrica, e uma bússola com a agulha paralelamente abaixo do fio.

Fechando-se a chave veremos que a agulha da bússola irá girar, e invertendo o sentido da corrente, a agulha irá girar para o sentido oposto.

A agulha metálica da bússola sai da posição paralela ao fio para uma posição perpendicular, quando há corrente atravessando o fio. Ilustração: Joseph G. Branch / Gutenberg.org

A agulha metálica da bússola sai da posição paralela ao fio para uma posição perpendicular, quando há corrente atravessando o fio.
Ilustração: Joseph G. Branch / Gutenberg.org

Desta maneira Oersted provou que um fio condutor percorrido por corrente elétrica gera ao seu redor um campo magnético, cujo o sentido depende do sentido da corrente.

Fontes
Sampaio/Calçada – Física, volume único – 2ªedição – São Paulo, 2005. Atual Editora.
GASPAR,Alberto – Física, volume único – 1. ed. – São Paulo : Ática, 2005.