Fenótipo

Por Fabiana Santos Gonçalves
O fenótipo é o conjunto de características físicas, morfológicas e fisiológicas de um organismo. O fenótipo é a expressão do genótipo: as proteínas que o genótipo codifica, determina as características fenotípicas.

O fenótipo resulta da atividade dos genes em conjunto com o meio ambiente. O fenótipo pode ser alterado frequentemente. Por exemplo: uma pessoa possui um genótipo para pele clara, mas se expões frequentemente ao sol. Quando uma pessoa expõe sua pele ao sol, ela ativa a produção de melanina pela pele, para protegê-la dos raios solares, e dessa forma, sua pele fica mais escura, pigmentada. O genótipo dessa pessoa será sempre o mesmo: pele clara. O que vai alterar é apenas seu fenótipo, o que é visível e perceptível.

Pessoas de pele muito clara normalmente são recessivas para muitos genes que codificam essa característica, e, como os genes recessivos codificam proteínas defeituosas, pessoas de pele muito clara ficam muito mais vermelhas do que morenas quando se expõem ao sol, pois não conseguem produzir melanina, ou a produzem em muito pouca quantidade, que é insuficiente para pigmentar. O vermelho que vemos é a irritação causada pelos raios solares.

Cor da pele é apenas um exemplo, frente a um fenótipo inteiro. Uma pessoa pode alterar seu fenótipo constantemente: pessoas magras podem fazer exercícios físicos e adquirir mais massa muscular. Pessoas com cabelos loiros podem escurecê-los com tintas, e vice-versa.

As características fenotípicas alteradas de uma pessoa não são passadas aos seus descendentes, pois a eles são passadas apenas as características genotípicas. Um casal de halterofilistas não terá automaticamente um filho musculoso. Seu filho poderá ter predisposição a ter muita massa muscular se isso já for uma característica genotípica de um dos pais, e se ele herdar essa característica.