Alemanha Ocidental

Por Emerson Santiago
Ficou popularmente conhecida como Alemanha Ocidental o antigo estado existente de 1949 a 1989 formado pela parte oeste da atual Alemanha, e que tinha como nome oficial República Federal Alemã (RFA ou Bundesrepublik Deutschland no original em alemão). A RFA era um estado baseado nos valores capitalistas, reproduzindo o sistema político e econômico dos países responsáveis por sua criação.

Nas conferências de Teerã em 1943, e de Ialta em 1945, ficou estabelecido por EUA, URSS e Reino Unido, que a Alemanha deveria ser dividida como um modo de enfraquecê-la, além de serem impostas importantes indenizações de guerra, o que impediria o país de voltar a ser uma potência econômica.

Em 1945, com a efetiva vitória dos aliados na Segunda Guerra, a Alemanha é ocupada pelas quatro forças mais importantes do bloco aliado, União Soviética, Estados Unidos, Reino Unido e França, cada um controlando um quarto do território alemão; Berlim também foi dividida em quatro zonas. Logo, porém, americanos e britânicos perceberam que este desmantelamento transformaria as zonas de ocupação em desertos industriais que os obrigariam a gastar enormes quantias para sustentar o país. Deste modo, Reino Unido, EUA e França decidem, a 20 de junho de 1948, implantar uma reforma monetária e criar um estado provisório sob seu controle, o que causa uma crise com os soviéticos. A 23 de maio de 1949 surge o novo estado, a República Federal da Alemanha (RFA), tendo por capital a cidade de Bonn. A sua denominada Lei Fundamental sublinhava seu caráter provisório, pois somente depois que o país voltasse a ser uma unidade deveria ser ratificada uma Constituição definitiva.

Em outubro do mesmo ano, os soviéticos respondem ao fomentar a criação da República Democrática Alemã (RDA), de orientação socialista. Na prática, a RDA era mais um dos vários países socialistas satélites da URSS surgidos após 1945. Assim, a nova realidade da Guerra Fria eliminou rapidamente qualquer esperança de reunificação alemã. Em 1961, a construção de um muro que isolava Berlim Oriental pareceu selar a divisão definitiva da Alemanha em dois estados distintos.

Com o passar dos anos começava a ser perceptível o contraste entre as duas Alemanhas, pois o lado capitalista desde cedo desenvolvia-se, enquanto que do lado socialista, a política engessada e a burocracia dos líderes comunistas alemães deixava seu estado em completa desvantagem e atraso.

As desigualdades chegam a um ponto onde, em 1989, o sistema político oriental entra em colapso. As mudanças nos países socialistas atingem o auge com a queda do Muro de Berlim no mesmo ano, o que abriria caminho para uma rápida reunificação do estado alemão cerca de um ano depois, tendo por base a organização social e política da Alemanha Ocidental.

Leia também:

Bibliografia:
A Divisão da Alemanha ─ de 1945 a 1989. Disponível em: <http://www.dw.de/dw/article/0,,958753,00.html>. Acesso em: 23 mai. 2012.