Alemanha Oriental

Era popularmente conhecida como Alemanha Oriental o antigo estado formado pela parte mais a leste da atual Alemanha, chamado oficialmente de República Democrática Alemã (RDA ou Deutsche Demokratische Republik - DDR, no original em alemão), e que existiu de 1949 a 1990. A RDA era um estado socialista, fundado nos mesmos moldes dos outros estados socialistas do leste europeu existentes à mesma época.

Em 1945, com a derrota da Alemanha na Segunda Guerra, seu território é ocupado pelas quatro forças mais importantes do bloco aliado, União Soviética, Estados Unidos, Reino Unido e França, cada um controlando um quarto do território alemão. Durante esse período se tentou fazer da Alemanha um país de sistema misto, o que se mostraria inviável por causa dos interesses opostos dos EUA e da URSS, que insistiam em implementar seus modelos políticos e econômicos particulares. A 23 de maio de 1949, as porções do território alemão controladas por EUA, Reino Unido e França são unificadas, dando origem a um novo estado, a República Federal da Alemanha (RFA), país de economia capitalista e regime semelhante ao do restante do ocidente. Já a leste, no território ocupado pelos soviéticos, é fundada a RDA a 7 de outubro de 1949. A cidade de Berlim, que ficava em território da RDA, foi também dividida, e sua parte oriental permaneceu como capital do estado socialista.

Logo, as duas Alemanhas surgidas do período pós-guerra iriam refletir a nova situação criada pela Guerra Fria. Do mesmo modo, Vietnã e Coreia seriam separadas em processo semelhante, sendo que as Coreias do Norte e Sul ainda vivem esse drama. A economia do lado socialista se baseava na agropecuária e nas poucas indústrias existentes. A RDA, assim como os outros estados socialistas nascentes, não foi beneficiada pelo Plano Marshall por causa da reforma agrária, nacionalização das empresas e pelo planejamento centralizado da economia.

Assim, a RDA levou muito mais tempo para se recuperar dos efeitos da guerra que o seu vizinho ocidental que previsivelmente, começou a atrair os cidadãos do leste. O fluxo crescente de emigração preocupava bastante os dirigentes da RDA, que temiam a possibilidade do estado ser asfixiado economicamente por meio da falta de pessoal qualificado.

O controle da fronteira passa a ser bastante rigoroso, com penas drásticas a quem tentasse passar para o lado ocidental. Mesmo assim, o movimento persistia, até que em 1961, finalmente é erguido o infame "Muro de Berlim", separando a parte ocidental e a oriental da cidade. Nas quase três décadas de sua existência, vários morreram tentando cruzá-lo rumo ao ocidente, e em 9 de novembro de 1989, sua queda foi o símbolo maior do fim dos regimes socialistas em quase sua totalidade.

A RDA teve praticamente o mesmo destino dos outros regimes socialistas vizinhos, acabando por entrar em colapso pelas políticas equivocadas de seus dirigentes. A 3 de outubro de 1990 ocorre a reunificação da Alemanha, e as duas repúblicas são unidas sob um regime similar ao da antiga metade ocidental.

Leia também:

Bibliografia:
República Democrática Alemã. Disponível em: <http://lulamann.vilabol.uol.com.br/>. Acesso em: 21 mai. 2012.