Batalha de Stalingrado

Mestrado em História (UDESC, 2012)
Graduação em História (UDESC, 2009)

A Batalha de Stalingrado durou um pouco mais do que seis meses, do fim de julho de 1942 até 2 de fevereiro de 1943, talvez a batalha mais sangrenta da segunda guerra mundial com mais ou menos 1,5 milhões de mortos. Além disso esse foi um ponto decisivo para o término da Segunda Guerra Mundial. A Batalha de Stalingrado teve quatro fases principais: 1º A fase defensiva, até 19 de novembro de 1942; 2º A ofensiva russa ao norte e ao sul de Stalingrado, que levou ao cerco das forças alemãs na cidade; 3º A tentativa dos alemães em socorrer suas tropas sem sucesso em Stalingrado; 4º O arrasamento das unidades alemãs cercadas (janeiro de 1943).

Soldados alemães durante a Batalha de Stalingrado, em 15 de setembro de 1942. Foto: Berliner Illustrirte Zeitung / via Wikimedia Commons

Os alemães começaram sua ofensiva por meio da tática Blitzkrieg, onde o exército alemão contava com 330 mil soldados do 6º Exército e do 4º Exército de blindados. Podemos perceber que mesmo com a vantagem numérica os alemães não conseguiram vencer o a técnica de combate do exército vermelho, que naquele momento contava com menor número de soldados.

As razões que levaram os soviéticos à vencer a Batalha de Stalingrado nas fases defensiva e ofensiva, segundo o jornalista Alexander Werth, que cobriu a batalha, foram seis razões:

  1. A vivencia dos soviéticos;
  2. As condições geoclimáticas durante os combates Stalingrado.
  3. O treinamento do exército em batalhas de rua;
  4. Armamento antitanque que quebravam a tática da Blizkrieg alemã;
  5. A artilharia soviética atirando sem parar no inimigo.
  6. A organização impecável que conseguiu manter a cidade abastecida durante todo o tempo de batalha.

O exército alemão se rendeu em 2 de fevereiro, com cerca de 91 mil soldados, todos em situações precárias, foram feitos prisioneiros, entre eles 22 generais, para comemoração dos soviéticos. Desses 91 mil, 11 mil alemães e soldados do Eixo recusaram serem feitos prisioneiros nos campos de concentração soviéticos e decidiram lutar até morte. Estes grupos lutaram até março de 1943, escondidos, enquanto os soviéticos iam limpando a cidade dois mil foram mortos, e o restante foram levados presos.

Dos 91 mil prisioneiros alemães da Batalha de Stalingrado, somente 5 mil prisioneiros retornaram a suas casas após a guerra. Estes prisioneiros foram mantidos em campos de trabalho por toda a União Soviética, a maioria morreu por não ter acesso a tratamento médico ou desnutrição. Já os oficiais foram levados a Moscou com o intuito de participaram de propagandas antinazistas. Somente em 1955 os últimos soldados alemães restantes de Stalingrado foram repatriados.

Na Alemanha a Batalha só foi noticiada em 1943. A Batalha de Stalingrado não foi a primeira derrota nazista na guerra, mas nunca havia tido uma batalha tão dispendiosa antes. Em 16 de fevereiro de 1943, Joseph Goebbels, fez um discurso em Berlim, convocando a nação a uma guerra total, e a partir dali necessitaria de todos o trabalho e recursos que a população alemã poderia oferecer.

A Batalha de Stalingrado mudou os caminhos da Segunda Guerra Mundial e colocou os Alemães em uma posição defensiva. Após esse episódio, os soviéticos organizaram uma investida para Berlim afim de exterminar com Adolf Hitler. Com os esforços das tropas Aliadas os soviéticos conseguiriam acabar com a Segunda Guerra em 1945.

Referências:

HOBSBAWM, E. J. Era dos extremos: o breve século XX: 1914 - 1991. 2. ed. São Paulo: Companhia das Letras

WERTH, Alexander. Stalingrado: 1942 o início do fim da Alemanha nazista. Editora contexto, 2015.