Dinastia Qin

Por Pedro Augusto Rezende Rodrigues
A dinastia Qin, ou Chin, governou a China no periodo entre 221 a.C e 206 a.C. O primeiro rei dessa dinastia, Zheng, é conhecido por ter feito grandes atos, como a unificação Chinesa que ocorreu de forma muito violenta. Seu governo também é conhecido como muito cruel devido as várias guerras de dominação ocorridas antes da unificação Chinesa, quando ainda estava a conquistar os reinos de Zhao, Wei, Chu, Yan e Qi. Após todas essas conquistas, Zheng, se auto proclamou o “Primeiro Imperador” (Shi Huangdi).

Tal dinastia se pelo fato de que os vassalos do rei, os senhores, cresceram de maneira assustadora politicamente e economicamente, tornando-se mais influentes do que o próprio rei, que passava então ter um carácter apenas simbólico. Por volta do ano de 403 a.C a 221 a.C, começa uma período denominado “Período dos Estados Combatentes” cuja qual foi marcado pela guerra entre esses senhores, que tinham como objetivo acumular pequenos territórios para ampliar suas áreas de influências. Com o passar do tempo, os reinos mais poderosos foram incorporando os reinos menos influencia. No final desse período os reinos de Chu (no Sul) e Qin (no Oeste) eram os mais poderosos, e grande parte desse poder de Qin se deve ao fato de ter um jovem rei com um grande dom militar, Zheng, que foi aclamado rei com apenas nove anos de idade.

Com toda essa batalha por domínio territorial, chega um momento em que o reino de Qin consegue dominar seu principal adversário, o reino de Chu. Assim sendo, o reino de Qin consolida seu poder e unifica todo o território Chinês, e tem seu rei, Zheng, proclamado “Shi Huangdi” que significa “Primeiro Imperador”. E com isso tem o inicio da Dinastia Chin, ou Qin.

Com todo o território Chinês unificado pelo imperador Zheng, o estado passa a tomar algumas providencias para melhorar todo o regimento governamental como a criação de pequenas unidades de governos ligadas ao governo central, além de proibir o porte privado de armas, e castigar todos os seus opositores com penas bastante cruéis (alguns foram enterrados vivos e outros foram mutilados). Também nesse governo, o imperador promoveu a construção de palácios, estradas e fortificações (a muralha da China começou a ser construída nesse período).

Como podemos ver, toda essa politica centralizadora proporcionada pela dinastia Qin em cima do imperador Zheng, funcionou apenas com ele. Com a sua morte em 210 a.C a China passa por um momento muito difícil na sucessão imperial. O sucessor legitimo de Zheng foi assassinado pelo seu irmão mais jovem, e o segundo imperador Qin Er Shi foi também assasinado, só que agora por um de seus ministros, Li Si, em 208 a.C. Li Si também foi morto, em 207 a.C, e a massa campesina, cansada de toda essa instabilidade, junto com alguns nobres, participaram de várias rebeliões contra o governo. Até que em 202 a.C, Liu Bang um funcionário do Império, derruba o governo Qin e se declara rei sob a dinastia de Han. Começa-se a partir de então, uma nova fase na China, regida de uma nova dinastia: a “dinastia Han”.

Fonte:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Dinastia_Chin