Economia da Mesopotâmia

Por Pedro Augusto Rezende Rodrigues
A mesopotâmia trata-se de um planalto de origem vulcânica localizado no Oriente Médio e cercada pelos rios Tigre e Eufrates e atualmente é ocupado pelo território do Iraque e terras próximas a ele.

Tal região, assim como o Egito, também dependia das cheias dos rios, no caso da mesopotâmia do Tigre e Eufrates, no caso egípcio o rio Nilo.

Os rios tinham certa irregularidade no que diz respeito as suas cheias e dessa maneira tiveram que pensar em métodos que facilitassem a agricultura na região. Um desses métodos, foi a criação de um sistema de irrigação e drenagem que era possivel através de construções de diversos diques e barragens.

Pelo fato da mesopotâmia ter uma grande disponibilidade de terras aliado a esses novos métodos elaborados e construídos que tinham como objetivo facilitar a agricultura, provocaram as invasões de muitos pastores assírios nas terras ao sul do territorio em busca de solo fértil para seu sustento.

A agricultura, sem duvida nenhuma, tem um papel muito importante no desenvolvimento do estado mesopotamico.  O sistema de servidão coletiva destinava sua atenção para  administração da agricultura, além de organizar obras públicas objetivando a melhoria na produção agrícola.

Todo esse florescimento das atividades agrícolas na região fez com que os mesopotâmicos passassem a acumular excedentes, o que foi responsável pelas primeiras atividades comerciais na região, que também foi facilitado pela agilidade de deslocamento nesse territórios (por rios e mares próximos), além dos suprimentos agricolas estarem passando por uma certa carencia em outras regiões.

Porém com todo crescimento do comércio na região fez com que os povos ali envolvidos não se restringissem apenas em comercializar produtos agricolas. Dessa maneira, foram formada caravanas com a intenção de buscar produtos em outras regiões para serem comercializadas ali. Alguns produtos merecem tal destaque como o marfim, o cobre o estanho, a madeira, pedras preciosas, tecidos, tapetes, perfumes e muitos outros.

Todo esse comércio era feito e baseado na troca de mercadorias, pois até então, não se tinha um padrão monetário na região. Assim, o padrão de troca estabelecido era inicialmente representado pela cevada e logo depois pelos metais.

Assim concluimos que a civilização mesopotamica além ter sua origem ligada a agricultura por estar situada em meio a dois rios, teve também grande destaque no comércio, se tornando um dos maiores centro comerciais do oriente.

Fontes:
http://educacao.uol.com.br/historia/mesopotamia-economia-sociedade-politica.jhtm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Mesopotâmia