Governo de Floriano Peixoto

Por Cristiana Gomes
O GOVERNO DE MARECHAL FLORIANO PEIXOTO

Floriano Peixoto foi o vice de Deodoro da Fonseca e assumiu a presidência após a renúncia deste. Floriano recebeu o apoio de militares florianistas e de oligarquias estaduais antideodoristas.

O presidente achou necessário governar pela força devido aos inúmeros problemas enfrentados pela nação e ganhou com isso o apelido de "Marechal de Ferro".

Floriano enfrentou protestos da oposição que não o aceitava como presidente. Esta queria a convocação de novas eleições. Tal atitude tinha uma explicação: caso o presidente ficasse menos de 2 anos no poder, novas eleições teriam que ser feitas, Deodoro governou por 9 meses; logo, este era um bom motivo para que Floriano convocasse eleições. Porém, não as convocou e por isso enfrentou várias revoltas que soube como combater.
Em 1893 ainda enfrentou mais 2 revoltas:

1)A Revolta Federalista do Rio Grande do Sul
2)A Revolta da Armada.

Floriano usou da violência para acabar com as duas.
Nem todos o apoiavam, seus principais opositores eram as oligarquias cafeeiras e os banqueiros estrangeiros. Contudo, contava com o apoio de uma parte do Congresso Nacional, da classe média e da ala militar florianista.

A nação o admirava, pois ele apoiava a classe média menos favorecida tomando medidas eficazes para diminuir o custo de vida.

Com todo esse poder, Floriano não quis continuar na presidência. Muitos insistiram, mas ele não quis e preferiu se retirar da vida pública.
Muitos achavam que ele daria um Golpe de Estado para prejudicar a posse de Prudente de Moraes, porém nada fez e Prudente assumiu a presidência em 15/11/1894.

Fontes
1)PILETTI,Nelson,PILETTI,Claudiano
História e Vida
São Paulo.Ática,1992.

2)SILVA,Francisco de Assis,BASTOS,Pedro Ivo de Assis
História do Brasil
São Paulo.Moderna.

3)Almanaque Abril 1991