Grande Cisma do Ocidente

Pós-doutorado em História da Cultura (Unicamp, 2011)
Doutor em Ciências da Religião (Umesp, 2001)
Mestre em Teologia e História (Umesp, 1996)
Licenciado em Filosofia (Unicamp, 1992)
Bacharel em Teologia (Mackenzie, 1985)

O cisma ou separação chamado de Grande Cisma do Ocidente dividiu o catolicismo desde 1378 até 1417. Durante a sua história, ocorreram importantes divisões na Igreja Cristã, rupturas importantes que foram chamadas de Cismas (separações), como o Cisma do Oriente (1054) e esse do Ocidente (entre 1377 e 1417). Também ocorreu a importante ruptura do século 16, com a Reforma Protestante em 1517.

No seu pontificado, o Papa Bonifácio VIII (1294-1303) disputou o poder com o rei francês Filipe IV, o belo. Com a morte de Bonifácio VIII (1303), Felipe IV pressionou e conseguiu eleger um papa francês para o substituir, Papa Clemente V. O monarca francês obrigou o sucessor deste Papa a se instalar em território francês, deixando vago o trono do Papa em Roma. O Papado foi transferido para Avignon, sul da França, de 1309 até 1377, período chamado de Cativeiro de Avignon, quando vários papas se submeteram ao poder dos reis capetíngios. Mais fatores políticos ocorridos ao final do Pontificado em Avignon levaram o novo Papa francês, Gregório XI, a querer retornar a sede papal para Roma, onde ele faleceu, em 1378, e novo papa foi escolhido: o cardeal de Bari (Itália) foi eleito papa Urbano VI, pressionando para que a sede do papado novamente se instalasse em Roma. Mas, inconstante, Urbano VI foi rejeitado pelo clero que anulou sua eleição. Mas, alguns cardeais se uniram à Rainha Joana I, de Nápoles (Itália) e escolheram o cardeal de Genebra como Papa Clemente VII. A sede de seu papado se manteve em Avignon e Clemente VII ficou conhecido como o Antipapa.

O catolicismo ocidental, cindido, com dois papas brigando entre si. Esse foi o início do Grande Cisma do Ocidente.

Em Roma, Urbano VI era apoiado pelos ingleses, Sacro Império, Flandres e norte da Itália. Logo, o Papa Bonifácio IX sucedeu a Urbano VI.

Em Avignon, Clemente VII era apoiado por diversos monarcas e pessoas de destaque na Igreja (França, Nápoles, Castela, Aragão, Lorena e Escócia) - – era conciliador. O Papa Benedito XIII (ou Bento XIII) sucedeu a Clemente VII, mas foi contestado por Alexandre V, e teve como seu sucessor o Antipapa João XIII, com sede em Piza (Itália).

O cisma dentro do cisma se tornou dramático e teve alcance continental, chegando a Igreja a ter três Papas: Bonifácio IX sucedido por Gregório XII (em Roma), Benedito XIII (em Avignon) e João XIII (em Piza), brigando entre si para reivindicarem o poder sobre o catolicismo ocidental no século 15.

A igreja católica atingiu o máximo de sua instabilidade religiosa e política e convocou o Concílio de Constança (1414) para solucionar a crise dos 3 papas e das sedes de pontificados. Em Constança, o consenso resultou na renúncia do papa de Roma (Gregório XII), a deposição de João XIII (e Piza) e a excomunhão de Bento XIII (de Avignon).

Em 1417, os católicos ocidentais escolheram apenas um novo nome, Martinho V, findando o Grande Cisma do Ocidente e retornando a sede do pontificado para Roma.

Arquivado em: Cristianismo, Idade Média