Memorial da América Latina

O Memorial da América Latina, fundado no dia 18 de março de 1989, no bairro paulistano da Barra Funda, é um núcleo de cultura, política e lazer construído com o objetivo de disseminar as expressões criativas da América Latina, visando estabelecer laços culturais, políticos e sociais entre as nações dessa região continental.

O edifício, arquitetado por Oscar Niemeyer, está localizado em um território de 84.482 metros quadrados de extensão; seu planejamento cultural foi desenvolvido pelo antropólogo Darcy Ribeiro, árduo defensor da causa da integração latino-americana. Esta instituição de caráter público, suficientemente independente, está ligada à Secretaria de Estado de Relações Institucionais.

O Memorial é composto por diversos prédios, posicionados em duas esferas conectadas por uma passarela; todo este complexo alcança 25.210 metros quadrados de construção, englobando o Salão de Atos, a Biblioteca Latino-Americana, o Centro de Estudos, a Galeria Marta Traba, o Pavilhão da Criatividade, o Auditório Simón Bolívar, o Anexo dos Congressistas e o Parlamento Latino-Americano.

Na Praça Cívica está localizada a escultura moldada em concreto conhecida como ‘A Grande Mão’, a qual representa o sangue vertido pelos mártires da América Latina que combateram e muitas vezes deram a vida pela conquista da liberdade; este é um dos símbolos mais significativos do Memorial.

No Salão de Atos Tiradentes é possível encontrar seis painéis que discorrem sobre a história da colonização desta fração do continente. O Auditório Simon Bolívar é célebre por ter recepcionado, desde sua inauguração, líderes do porte de Bill Clinton, Fidel Castro e Hugo Chávez, entre outros.

A Biblioteca conta com o maior patrimônio literário sobre a temática latino-americana; o leitor tem a sua disposição, para consulta local, aproximadamente 30 mil livros. O Pavilhão da Criatividade Popular Darcy Ribeiro apresenta uma maquete com cerca de mil artefatos de pequeno porte, elaborada pelos artistas Gepp e Maia; nela estão situadas as regiões turísticas mais significativas do continente latino-americano e também passagens da literatura destes países. Neste recanto está igualmente exposta, permanentemente, sua arte popular.

Neste complexo está localizado inclusive o Anexo dos Congressistas, reservado para eventos acadêmicos, diplomáticos e breves exposições, e a Galeria Marta Traba de Arte Latino-Americana, instituída em 1998, igualmente elaborada por Oscar Niemeyer, no mesmo lugar onde anteriormente havia um restaurante especificamente orientado pela cozinha da América Latina.

Diversos shows e concertos já foram aí realizados, entre eles os de Luciano Pavarotti e da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, que fez deste espaço sua sede por muito tempo. Aí também tiveram origem a Universidade de Música e a Orquestra Jazz Sinfônica. O Memorial recepciona constantemente grupos organizados para visitas gratuitas, guiadas por monitores especializados.

Fontes:
http://www.cidadedesaopaulo.com/sp/br/o-que-visitar/pontos-turisticos/202-memorial-da-america-latina
http://pt.wikipedia.org/wiki/Memorial_da_Am%C3%A9rica_Latina

Arquivado em: História