Revoluções do Atlântico

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

Revoluções do Atlântico designa uma onda revolucionária que teve início no final do século XVIII.

Após a Revolução Francesa, uma nova concepção de direitos humanos se apresentou ao mundo, colocando todos os homens em patamar de igualdade e não mais determinados pelo nascimento em determinadas castas sociais. O próprio movimento revolucionário ocorrido na França foi guiado pelo lema “Igualdade, Liberdade e Fraternidade”, fixado muito em função dos ideais iluministas.

O Iluminismo, por sua vez, foi uma corrente ideológica reformadora que muito contribuiu para o avanço social, clamando por igualdades de direitos e pregando novas concepções das organizações sociais. Seus valores estiveram fortemente marcados na Revolução Francesa e, em seguida, ganhou espaço pelo mundo, influenciando revoltas em outros territórios e buscas por mudanças.

As Revoluções do Atlântico foram vários movimentos que carregavam consigo os valores iluministas. Esses momentos históricos de diversos povos apresentavam, em geral, a preocupação com a liberdade e os direitos dos indivíduos, a crença na soberania popular e uma posição contrária a um sistema feudal ainda vigente ou mesmo monarquias.

A rigor, as Revoluções do Atlântico começaram com a independência dos Estados Unidos, 1783. Este foi um movimento inovador na América, marcando um novo modelo de democracia e gerando a primeira constituição política escrita. Entretanto o grande marco de referência para a história da humanidade foi a Revolução Francesa, ocorrida entre 1789 e 1799, que se destacou por sua intensidade e repercussão, tornando-se o marco inicial do que chamamos de História Contemporânea.

É verdade que a independência dos Estados Unidos ofereceu exemplo e inspiração para vários outros movimentos, mas o legado dos franceses foi muito marcante. É possível demonstrar essa forte repercussão quando notamos que entre os símbolos de renovação em alguns movimentos posteriores estava a deusa Marianne, que representa a república francesa.

Entre os movimentos que marcam as Revoluções do Atlântico podemos citar: a Revolução Haitiana, que é um marco de liberdade importante dos africanos no continente americano; rebeliões republicanas ou constitucionalistas em diversos territórios europeus; a independência do Brasil e o vasto movimento de emancipação na América Espanhola que deu origem aos vários países da América Latina.