Pulgas

Por Débora Carvalho Meldau
As pulgas são insetos, pertencentes à ordem Siphonaptera, que engloba diversos gêneros, sendo que a pulga doméstica Pulex irritans é a mais conhecida, e tem como hospedeiro preferencial os humanos.

Pulex irritans

Existem cerca de 1900 espécies conhecidas de pulgas no mundo todo, no entanto, as que possuem maior importância em saúde pública e medicina (humana e veterinária), além da P. irritans, são: Xenopsylla cheops, que parasita os ratos; Ctenocephalis canis, pulga do cão e Ctenocephalides felix, pulga do gato. Todas estas espécies podem parasitar o homem e, por serem insetos hematófagos, podem transmitir ao homem diversas enfermidades portadas por estes animais.

O sangue consumido por este parasita é essencial para a maturação dos ovos. Esses caem no solo de onde vive o hospedeiro, passando pelo período de incubação que pode de 9 a 200 dias, aproximadamente, ele dependerá da espécie da pulga e de fatores ambientais como: umidade, temperatura, entre outros. A larva irá alimentar-se de substâncias orgânicas secas e também, das fezes das pulgas adultas. Em seguida, inicia-se o estágio pupal, onde haverá o desenvolvimento da pupa dentro do casulo que, assim como o estágio anterior, é influenciado por fatores ambientais. Geralmente, o desenvolvimento completo da pupa leva cerca de 1 mês no verão, já no inverno, pode levar meses. Quando se tornam adultas, procuram um hospedeiro para se alimentarem e iniciarem novamente o ciclo.

Em consequência das picadas da pulga, há o aparecimento de irritação cutânea e coceira, gerando desconforto e irritação do indivíduo que está sendo parasitado. A coceira é causada por uma substância presente na saliva do parasita, pois este injeta esta secreção no local da picada para que não haja a coagulação do sangue, podendo resultar em lesões mais graves e eczemas em pessoas alérgicas a esta saliva.

Ctenocephalides felix

A gravidade do parasitismo vai depender da quantidade de pulgas presentes no animal. Caso não haja tratamento, o aumento do número desses insetos, a espoliação de sangue pode resultar em uma anemia. O desconforto gerado também pode levar à implicações psicológicas em seres humanos e nos animais de produção, pode levar à perdas econômicas, devido à queda no ganho de peso e na redução da produção de leite.

As pulgas são vetores de variadas doenças, inclusive uma grave doença que foi um grande problema para a humanidade no fim da Idade Média, a peste bubônica. Além desta, também são vetores do Micrococcus aureus, M. albus, Bacillus Pyocyneus.

Entre os animais domésticos, estes insetos são vetores de alguns parasitais intestinais, tais como o Dipylidium caninum. Para que esse tipo de parasitismo não ocorra, é necessário ser feito um combate às pulgas.

O tratamento do parasitismo por esses insetos é feito drogas veterinárias específicas. Deve ser levado em conta também seu tipo de ciclo de vida, como elas passam um período no ambiente, esse deve ser tratado também, bem como o animal.

Fontes:
http://www.saudeanimal.com.br/pulga.htm
http://ciencia.hsw.uol.com.br/pulga.htm
http://www.hospvetprincipal.pt/Pulgas.htm
http://www.becodosgatos.com.br/pulgas.htm
http://www.ento.csiro.au/education/insects/siphonaptera.html
http://entnemdept.ufl.edu/fasulo/vector/chapter_04.htm