Lexicologia

Por Roseliane Saleme
Lexicologia pode ser definida como o estudo dos elementos de formação das palavras, ou parte da Gramática que trata do valor etimológico e das diversas acepções das palavras.

Quanto ao valor etimológico pode-se afirmar estar este atrelado à origem da palavra. A constituição desse repertório de palavras da Língua Portuguesa teve em sua fase primitiva como características ser pobre e rude e a partir da arte provençal e o início da literatura o vocabulário amplia-se pela incorporação de vocábulos latinos (Império Romano) e do contato internacional com outros idiomas a partir do séc. XVI. De acordo com a Gramática Histórica usa-se o termo Lexiologia e a Linguística adota Lexicologia.

As novas palavras podem formar-se por derivação: processo pelo qual uma nova palavra é formada adicionando-se a uma palavra já existente, um sufixo; ou ainda suprimindo-se ou transferindo-se para outra classe de palavras. A derivação pode ser:

Derivação Própria

Formação de um novo vocábulo com o auxílio de sufixo, que podem ser nominais e verbais; o único sufixo adverbial que há é "-mente."

a- Os sufixos nominais podem ser de origem:

LATINA: –aço/-aça que pode exprimir ideia de coleção, capacidade, tendência, grandeza ou em sentido pejorativo, pequenez. Serve para formar tanto substantivos quanto adjetivos. Exemplos: barcaça; mulheraça; ricaço, etc.

-acho/-echo/-icho/-ocho/-ucho transmitem ideia depreciativa e entram na formação de substantivos e adjetivos. Exemplos: riacho; pouquecho; rabicho; gorducho; depreciativos: populacho.

-alha; indica coleção, quantidade podendo ter sentido pejorativo. Exemplos: muralha; batalha; canalha; gentalha; Pode vir combinado com –ão, formando o sufixo –alhão. Exemplo: bobalhão.

-ão associado a temas verbais designa agente: brigão, fujão; a temas nominais designa grandeza: salão;casacão, etc.

-dade/-dão: forma substantivos. Exemplos: verdade, lealdade, certidão, etc.
-ês/-ense: os adjetivos a partir desses sufixos designam origem, naturalidade e qualidade. Exemplos: português, cearense, etc.
-inho/-im/-ino: ideia de diminuição, relação, origem. Exemplo: bolinha, folhetim, matutino, etc.
-mento/a: forma substantivos e indica ordem, coleção, instrumento. Exemplo: casamento, ferramenta, etc.
-oso: forma adjetivos e expressa abundância, quantidade. Exemplo: invejoso, formoso, etc.

Bibliografia:
COUTINHO, I. de L. Pontos de Gramática Histórica. Rio de Janeiro: Acadêmica, 1974.
HOLLANDA, Aurélio B. Pequeno Dicionário Brasileiro da Língua Portuguesa. 11 ed. Rio de Janeiro: ECB, [1985].