Derivação

Mestre em Ciências Humanas (CEFETRJ, 2014)
Especialista em Linguística, Letras e Artes (CEFETRJ, 2013)
Graduada em Letras - Literatura e Língua Portuguesa (UFRJ, 2011)

Derivação é o processo por meio do qual as línguas podem alterar a forma de palavras já existentes para formar palavras novas. É um expediente linguístico importante porque gera economia linguística: ao invés de criar uma outra palavra completamente nova, a língua estabelece determinadas formas com significados preestabelecidos.

Elementos envolvidos em processos de derivação:

Esse processo envolve elementos que darão origem a palavras novas, que são chamados de palavras primitivas ou base; elementos resultantes do processo, chamados de palavras derivadas; e ainda elementos que não têm autonomia para ocorrerem livremente na língua, precisam sempre se fixar junto a uma palavra, esses elementos são chamados a afixos.

Tipos de derivação

Prefixal, sufixal e parassintética

Quando o afixo se une à palavra na sua margem esquerda, antes do início da palavra, é chamado de prefixo (desfazer, repor, infeliz) e quando o afixo se segue à palavra na sua margem direita é chamado de sufixo (instrumentalizar, citação, trabalhador, entretenimento). Sufixo tem características que o prefixo não tem: somente o sufixo é capaz de mudar a classe gramatical da palavra (trabalho (substantivo), trabalhador (adjetivo)), o gênero (prefeito/prefeita), pode servir a uso avaliativo (bonitinha, golaço, maridão).

A derivação pode estar sujeita ainda ao uso obrigatório de um prefixo e de um sufixo ao mesmo tempo, sob pena de não ter sentido completo sem um dos dois (amanhecer, engaiolar, entristecer), chamada de derivação parassintética. Esse tipo de derivação é diferente da derivação que ao mesmo tempo envolve prefixo e sufixo devido ao caráter obrigatório, que somente há na parassíntese. Não haveria sentido em “entristecer” se retirado ou prefixo “*tristecer” ou o sufixo “entriste*”. Diferentemente do que ocorre com derivação prefixal e sufixal ao mesmo tempo, feliz > infeliz > infelicidade > felicidade, em que se pode facilmente retirar prefixo ou sufixo ou ambos.

Derivação regressiva

Via de regra, derivação é um processo que adiciona elementos à palavra, porém, na derivação regressiva, o que se tem é uma perda, há uma redução de elementos para caracterizar uma nova palavra, geralmente passando de verbo a nome (errar > erro; debater > debate; cortar > corte).

Derivação imprópria

Há ainda a derivação imprópria, em que não se recorre a uma alteração na forma da palavra, como é característica geral dos processos de derivação, mas um uso em uma posição que não é aquela própria da palavra. Pode ocorrer com uso de um verbo em lugar de um substantivo ou de um adjetivo em lugar de um substantivo etc., como nos exemplos: “O badalar dos sinos ecoa pela pequena cidade” verbo passado a substantivo; “Ter vencido as eleições foi um grande feito”, particípio passado em lugar de substantivo; “Falo baixo para que ninguém acorde”, adjetivo em lugar de advérbio.

Bibliografia:

BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. Rio de Janeiro : Nova Fronteira,. 2009.

Arquivado em: Português