Português na América

A língua portuguesa chegou à América por meio de Portugal, durante o período se colonização portuguesa, mas especificamente no Brasil, a partir de 1500. A língua teve, no entanto diversas influências, e a primeira delas foi dos dialetos indígenas locais, pois seria impossível fazer com que os nativos mudassem a língua que já utilizavam sem que levassem com eles as raízes da mesma. Sendo assim, muitas palavras do léxico indígena foram incorporadas ao português falado na América. Exemplos destas palavras são: abacaxi, mandioca, caju, tatu, piranha, etc.

Outra influência bastante marcante foi a dos dialetos africanos, falados pelas pessoas que foram capturadas e trazidos para a colônia, para trabalharem como escravas. Hoje em dia, na África também há localidades em que o Português é a língua oficial, devido à colonização por parte de Portugal nestes locais. São exemplos de palavras vindas do vocabulário africano: samba, moleque, caçula, etc.

Desta forma, o português falado na América foi se diferenciando cada vez mais do português falado na Europa. Sem falar nas outras línguas vindas também da Europa e de outros continentes através do fluxo migratório que ocorreu após a independência, e que trouxe ao Brasil cerca de quatro milhões de pessoas falantes de dezenas de línguas diferentes. É este fato que explica as diferenças regionais do português falado no Brasil. Dependendo da região, a língua sofreu diferentes influências, e por isso há variações que são chamadas de dialetais.

O Português falado na América possui uma norma única, para qualquer região, porém a fala possui diversas variedades dialetais. Podemos encontrar variações na pronúncia, na entonação da frase, e no léxico, o que é reflexo das diferenças culturais como música, culinária, costumes, etc.

Agrupando as variedades brasileiras de acordo com suas características, podemos separá-las em duas grandes áreas ou grupos de dialetos: Norte e Sul. Mas dentro destas duas grandes áreas, podemos ainda nomear duas variedades no norte, que seriam a nordestina e a amazônica, e quatro no sul, que seriam a baiana, a fluminense, a mineira e a sulina.

Contudo, esta divisão não é uma regra, até porque o que determina a fala é a convivência entre as comunidades, por isso não é possível fazer uma fronteira entre uma área e outra. Outro fato interessante de se notar, é que o falar português pode se diferenciar ainda, entre cidades, ou áreas menores em um estado.

Leia também:

Fontes:
http://www.linguaportuguesa.ufrn.br/pt_3.3.a.php
http://www.cin.ufpe.br/~rac2/portugues/brasil.html
http://www.webartigos.com/artigos/a-lingua-portuguesa-na-america/16977/

Arquivado em: Linguística, Português