Abacaxi

Especialista em Gestão Ambiental (AVM-RJ, 2012)
Graduada em Biologia (UFRural-RJ, 2009)

O abacaxi (Ananas comosus) é uma fruta típica tropical da família Bromeliaceae. Seu nome deriva do tupi ananás que significa fruta saborosa mas é usado para designar as espécies silvestres, já abacaxi vem de “iuaka’ti” que significa fruta cheirosa que deu origem a abacaxi em português. Em outros lugares do mundo é chamado de pina (em espanhol), pineapple (em inglês) ou ananás (em Portugal).

Abacaxi cortado. Foto: baibaz / Shutterstock.com

Sua origem se remete a América do Sul, alguns pesquisadores dizem ser originária do Paraguai e Argentina mas a maioria afirma que a fruta é originária do Brasil. Se dispersou pelo mundo – Europa, Ásia e África – depois que Cristóvão Colombo chegou ao Novo Mundo, mais precisamente na Ilha de Guadalupe e foi recebido pelos nativos, recebendo abacaxi como sinal de hospitalidade e boas-vindas.

O Brasil é o maior produtor de abacaxi, produzindo em todos os estados. O abacaxizeiro é uma planta de porte pequeno, chegando até cerca de 80 cm, com caule (talo) reto, com folhas duras, lineares, que se encontram de forma espiralada a partir da base e flores pequenas que vão de rosas e roxas que se aglomeram formando uma espiga que dará origem ao fruto (ou infrustescência) abacaxi.

<p>Por ser uma planta perene (suas folhas não caem no outono), costuma dar frutos o ano inteiro. Porém seu período de maior produção ocorre no início dos períodos de chuva, mesmo assim é uma planta que deve ser cultivada em terreno com alto índice de nutrientes e em solos não encharcados. Tem seu desenvolvimento otimizado em temperaturas que variam de 22° a 32°, em locais bem ensolarados pois necessita de cerca de 6 a 8 horas de sol por dia.

O gênero Ananas possui 5 espécies e todas são cultivadas no Brasil, porém a Ananas comosus é a mais comum. Além disso dentro da família Bromeliaceae, ainda temos o gênero Pseudananas, que possui apenas uma espécie (Pseudananas sagenarius) chamada de pseudo – ananás que utilizada como planta ornamental. As variedades de abacaxis mais conhecidas são havaí, pérola e Cayenne (Smooth Cayenne).

É umas poucas plantas em que se utiliza muitas partes para consumo. Das folhas são retiradas fibras utilizadas para produção de um tecido chamado piña. Várias partes são utilizadas para a produção de ração animal, principalmente o sumo que é rico em uma enzima chamada bromelina, que é capaz de digerir proteínas. Além disso, a fruta pode ser consumida in natura, em forma de sucos, doces, em calda, em conserva, em pratos doces ou salgados. É um ótimo amaciador de carne por conta de sua enzima. No Nordeste, se produz uma bebida chamada aluá que é resultado da fermentação das cascas e, em se tratando de bebida, a mais popular é a piña colada, feita com suco de abacaxi e rum.

O abacaxi é uma fruta pouco calórica mas que possui uma grande quantidade de vitaminas como C, A e B, além de alto índice de carboidratos, minerais e fibras. Por conta disso tem diversas aplicações na medicina natural. Tem alto poder digestivo e diurético, além de excelente para tratar gripes, resfriados, anemia, inflamações, entre outras muitas coisas.

Referências:

EMBRAPA. Fruteiras Tropicais do Brasil. Fortaleza. 2009

Crestani, M. et al; Das Américas para o Mundo: origem, domesticação e dispersão do abacaxizeiro ; Ciência Rural, v.40, n.6, p.1473-1483, junho de 2010.

Referências online:

http://poderdasfrutas.com/a-historia-do-abacaxi/

http://www.ufrgs.br/afeira/materias-primas/frutas/abacaxi/caracteristicas-botanicas

Arquivado em: Frutas