Vitaminas

Graduada em Ciências Biológicas (Unifesp, 2013)

Vitaminas são micronutrientes orgânicos que os organismos não produzem em quantidade suficiente e, portanto, precisam ser ingeridas em pequenas quantidades nas suas dietas alimentares.

Por definição, não podem ser considerados vitaminas os nutrientes essenciais como os aminoácidos essenciais, sais minerais e ácidos graxos essenciais, os quais são necessários em grandes quantidades no organismo.

As vitaminas são importantes em diversas e distintas funções bioquímicas, por isso elas são classificadas pelo seu papel funcional e não pela sua estrutura. Assim, compostos diferentes que desempenham a mesma atividade biológica e, portanto, possuem o mesmo vitâmero, são agrupadas sob um título de uma letra. Por exemplo, o colecalciferol e o ergocalciferol são compostos diferentes, mas que possuem o mesmo vitâmero e por isso ambos compõem o grupo da vitamina D.

As vitaminas também são agrupadas pela maneira que podem se encontrar solúveis: hidrossolúveis (se dissolvem em água), ou lipossolúveis (se dissolvem no meio lipídico). No total tem-se descritos atualmente 13 vitaminas para os seres humanos, sendo 9 hidrossolúveis (as 8 vitaminas do complexo B e a vitamina C) e 4 lipossolúveis (vitaminas A, D, E e K). A diferença na maneira como elas podem ser solubilizadas tem grande importância para entender seu metabolismo e seu funcionamento. As hidrossolúveis por exemplo, são facilmente metabolizadas e consequentemente mais rapidamente excretadas e por isso necessitam de maior reposição (que seja ingerido mais frequentemente), enquanto as lipossolúveis podem ser mais facilmente estocadas no organismo. Devido esta diferença as vitaminas hidrossolúveis desempenham geralmente papel de coenzimas, ajudando o metabolismo celular de diferentes maneiras; já as vitaminas lipossolúveis geralmente têm papel mais na estrutura celular.

A importância das vitaminas é tão grande no organismo, que mesmo ela sendo um micronutriente, seu consumo em excesso (hipervitaminose) ou em falta (hipovitaminose) pode acarretar desbalanço metabólicos que podem desencadear doenças. Durante o desenvolvimento do feto a presença de certos sais minerais e certas vitaminas é essencial para formação de pele, ossos e músculos entre outras coisas. A deficiência destes, durante a gravidez podem causar danos permanentes ao feto.

A maioria das vitaminas pode ser obtida através da alimentação, no entanto algumas podem ser obtidas de outras maneiras. Por exemplo, os microorganismos do intestino, também chamado de microflora ou microbiota, são importantes para produção de vitamina K e biotina. Outro exemplo é a vitamina D que sintetizada pela pele e é ativada pelos raios ultravioletas. Algumas vitaminas ainda, podem ser sintetizadas a partir de precursores ingeridos, como por exemplo a vitamina A pode ser produzida a partir do aminoácido triptofano e do beta caroteno.

Vitaminas lipossolúveis

Vitamina Lista de vitâmeros Fontes alimentares
Vitamina A Retinol, retinal, e quatro carotenoides incluindo betacaroteno Fígado, ovo, queijo, manteiga, bacalhau, laranja, frutos amarelos, hortícolas folhosas, cenouras, abóboras, espinafres, leite e leite de soja
Vitamina D Colecalciferol (D3), ergocalciferol (D2) Peixe, ovos, fígado, cogumelos
Vitamina E Tocoferois, Tocotrienois Diversas frutas e vegetais, nozes e sementes
Vitamina K Filoquilina, menaquinonas Hortícolas como o espinafre, gema de ovo, fígado

Vitamina A

Sendo uma vitamina lipossolúvel, a vitamina A geralmente está associada à gorduras de alimentos de origem animal na forma de retinol ou na forma de carotenoides, principalmente betacaroteno em vegetais.

A vitamina A tem participação em diversas etapas de formação do organismo. É importante para formação e manutenção de dentes, ossos, mucosas, pele, para a visão e para o bom funcionamento do sistema imune.

A função mais amplamente conhecida da vitamina A é sob a forma de retinol, na retina dos olhos: o retinol tem papel na absorção de luz pelas células da retina. Ele também é oxidado em ácido retinóico agindo como fator de crescimento para as células epiteliais. Além disso os betacarotenóides tem papel antioxidante e protegem as células da ação de radicais livres. Outras formas de carotenoides (alfa, beta e gamacaroteno) também podem funcionar como provitamina A, para animais que se alimentam de plantas e são convertidos à retinol após ação da enzima beta-caroteno-15,15’-dioxigenase.

Quantidades insuficientes de vitamina A diminuem a eficiência destas células que a usam e, portanto, está relacionada com aumento no risco de lesões na córnea, cegueira, hiperqueratose e pele escamosa. Inclusive casos de cegueira em crianças com menos de cinco anos é principalmente dado pela deficiência de vitamina A. Por outro lado, o consumo em excesso de vitamina A, tem consequências mais brandas que não chegam a desenvolver doenças, apenas influenciam na cor mais amarelada/alaranjada da pele, mas com efeito reversível.

Vitamina D

Durante a exposição da pele à luz do Sol, o corpo é capaz de ativar vias de síntese de colecalciferol, o principal vitâmero da vitamina D no organismo. Poucos alimentos são fontes de vitamina D. Apenas os peixes atum, salmão e também alimentos como gema do ovo, fígado e queijo, porem a quantidade contida neles é pequena e melhor forma de obtenção da vitamina D é através da luz solar.

Sendo a vitamina D uma vitamina lipossolúvel, sua ação se dá principalmente no intestino ajudando na absorção de ferro, cálcio, fosfato, magnésio e zinco. Estes elementos circulam pelo sangue e tem função de favorecer a formação e manutenção de ossos, bem como favorecer algumas funções neuromusculares e também imunes.

A falta de vitamina D podem aumentar riscos de osteoporose, fraturas no geral e raquitismo, enquanto que seu consumo em excesso pode trazer alguns efeitos colaterais devido a hipervitaminose.

Vitamina E

A vitamina E também é uma vitamina lipossolúvel existindo em diversas formas, sendo que precisam apresentar pelo menos grupos químicos do tipo tocoferóis ou tocotrienois. A forma mais comum de se encontrar e também a forma biologicamente mais ativa dessa vitamina é a gama-tocoferol. Ela está envolvida nas reações antioxidantes. As fontes mais comuns de vitamina E são os óleos vegetais. A deficiência em vitamina E está associada com doenças neurológicas, anemia, ataxia espinocerebelar, miopatias e diminuição da eficiência imune.

Vitamina K

Enquanto a maior parte das vitaminas são obtidas através de fontes alimentares, a vitamina K depende parcialmente sua síntese das bactérias e microorganismos comensais que vivem na flora do intestino dos organismos. Outra parte pode ser absorvida através de alimentos como em hortaliças, óleos vegetais e frutas.

A principal função da vitamina K é relacionada com a capacidade de coagulação sanguínea (do alemão Koagulation). Além disso, outra função desta vitamina é regular a disponibilidade de cálcio encontrada na matriz óssea, sendo então importante para a mineralização deste tecido. Outras funções da vitamina K estão relacionadas com o crescimento celular em tecidos diversos como nos rins, entre outros.

Em humanos adultos, não é comum acontecer hipovitaminose da vitamina K, mas sua deficiência está relacionada com quadros de hipoprotrombinemia (baixa coagulação), podendo chegar até a quadros graves de hemorragias que podem pôr em risco a vida do indivíduo.

Vitaminas hidrossolúveis

Vitamina lista de vitâmeros Fontes alimentares
Vitamina B1 Tiamina Carne de porco, aveia, arroz integral, vegetais, batatas, fígado, ovos
Vitamina B2 Riboflavina Laticínios, bananas, feijão verde, espargos
Vitamina B3 Niacina, nicotinamida Carne, peixe, ovos, diversos vegetais, cogumelos e frutos secos
Vitamina B5 Ácido pantotênico Carne, brócolis, abacates
Vitamina B6 Piridoxina, piridoxamina, piridoxal Carne, vegetais, frutos secos, banana
Vitamina B7 Biotina Gema de ovo crua, fígado, amendoins, hortícolas folhosa
Vitamina B9 Ácido fólico, ácido folínico Hortícolas folhosas, massa, pão, cereais, fígado
Vitamina B12 Cianocobalamina, hidroxocobalamina, metilcobalamina Carne e outros produtos animais
Vitamina C Ácido ascórbico Diversas frutas e vegetais, fígado

Vitaminas do Complexo B

O complexo de vitaminas B são vitaminas hidrossolúveis e que estão diretamente ligadas ao bom funcionamento do metabolismo celular. Elas desempenham papeis principalmente como coenzimas, permitindo que a célula sintetize substratos importantes para sua manutenção, como ácidos graxos, aminoácidos, lipídios, fosfolipídios e até mesmo hormônios e neurotransmissores. Cada vitâmero da vitamina B, tem sua função principal, que será desenvolvida em maiores detalhes em outros artigos. A falta de vitamina B pode acarretar e quadros de anemia, entre outras doenças. As principais fontes de vitamina B são proteínas de origem animal, como as encontradas em, aves, ovos, laticínios, peixes e carne, mas também podem ser encontradas em folhas verdes, feijões e ervilhas.

Vitamina C

A função principal da vitamina C no organismo é atuar como cofator em diversas reações bioquímicas. Estas reações estão relacionadas com síntese de colágeno, proteína importante para reparação dos tecidos, absorção de ferro e reações antioxidantes, que protegem o organismo contra a ação de radicais livres. A vitamina Ca também é muito importante para o metabolismo das células imunes, cujo consumo é consideravelmente aumentado durante quadros de infecções. A falta de vitamina C causa uma doença bastante conhecida, que é o escorbuto. Os sintomas podem ser fadiga, dores nas articulações, problemas de cicatrização, inflamação das gengivas e manchas roxas ou vermelhas na pele. Já o excesso, levam à sintomas como indigestão, alterações no sono, dores de cabeça e rubor da pele. Ela é encontrada em frutas, principalmente as cítricas e em legumes, como brócolis, pimentas e batatas.

Referências bibliográficas:

Lieberman, S e Bruning, N (1990). The Real Vitamin & Mineral Book. Nova Iorque: Avery Group. ISBN 0-89529-769-8

Maton, Anthea; Jean Hopkins, Charles William McLaughlin , Susan Johnson, Maryanna Quon Warner, David LaHart, Jill D. Wright (1993). Human Biology and Health. Englewood Cliffs, Nova Jérsia: Prentice Hall. ISBN 0-13-981176-1. OCLC 32308337

Kutsky, R.J. (1973). Handbook of Vitamins and Hormones. New York: Van Nostrand Reinhold. ISBN 0-442-24549-1

Fukuwatari T; Shibata K (2008). «Urinary water-soluble vitamins and their metabolite contents as nutritional markers for evaluating vitamin intakes in young Japanese women». J. Nutr. Sci. Vitaminol. 54 (3): 223–9. PMID 18635909.

Fennema, Owen (2008). Fennema's Food Chemistry. [S.l.]: CRC Press Taylor & Francis. pp. 454–455. ISBN 9780849392726

National Academy of Sciences. Institute of Medicine. Food and Nutrition Board, ed. (1998). «Chapter 6 - Niacin». Dietary Reference Intakes for Tjiamine, Riboflavin, Niacin, Vitamin B6, Folate, Vitamin B12, Pantothenic Acid, Biotin and Choline. Washington D.C.: National Academy Press

Combs, G. F. (2008). The Vitamins: Fundamental Aspects in Nutrition and Health. San Diego: Elsevier

Moyer, VA (25 Feb 2014). "Vitamin, Mineral, and Multivitamin Supplements for the Primary Prevention of Cardiovascular Disease and Cancer: U.S. Preventive Services Task Force Recommendation Statement". Annals of Internal Medicine. 160 (8): 558–64.

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.