Microbiota

Graduação em Ciências Biológicas (Unicamp, 2012)
Mestrado Profissional em Conservação da Fauna Silvestre (UFSCar e Fundação Parque Zoológico de São Paulo, 2015).

Microbiota é definido como um grupo de microrganismos que vivem em determinado ambiente. Englobam as bactérias, os fungos, os protozoários e apesar de vírus não serem capazes de se reproduzir sozinhos, eles também entram neste grupo. Pode ser encontrada em diversos ecossistemas, como no solo, nas águas de um rio, ou de um mar, etç; como também é usado para se referir ao conjunto de microrganismos que estão no corpo de animais e plantas, como por exemplo, microbiota intestinal, microbiota bucal, etc.

Os microrganismos foram os primeiros seres vivos deste planeta, surgindo há mais de 3,5 milhões de anos atrás. Eles são seres resistentes, com a capacidade de ocuparem os lugares mais inóspitos da Terra, desde desertos, a regiões polares, subsolo, fontes termais, etc. Isso porque são um grupo muito diverso, de total importância para manutenção da vida no planeta. Eles participam de processos muito importantes, como a decomposição, ciclagem de nutrientes (participando dos ciclos biogeoquímicos) e nutrição do solo, fotossíntese e geração de oxigênio, entre outros.

A microbiota pode ser composta por três Domínios filogenéticos: Archaea (arqueobactérias), Bacteria e Eucarya (Protozoários e fungos estão incluídos neste grupo). Estima-se que a diversidade de espécies de microrganismos seja maior do que de flora e fauna, porém uma pequena parte foi descrita, sendo que os estudos estão restritos mais para a área médica e para a agricultura.

A microbiota tem importância ambiental, médica, alimentícia, industrial, farmacêutica, mas poucos são os estudos voltados para a área ambiental, talvez pela dificuldade de enquadrar as pesquisas em métodos tradicionais de laboratório (de isolamento e cultivo), uma vez que há dificuldade de imitar as condições naturais em que ela se encontra.

Alguns tipos de microbiota:

Microbiota do solo

Os microrganismos realizam reações biogeoquímicas que transforma matéria orgânica em nutrientes, disponibilizando minerais para as plantas. Além disso, são importantes no intemperismo das rochas. Eles mesmos, chegam a ser estoque de nitrogênio, potássio, fósforo e cálcio em mais de 250 Kg destes elementos, por hectare. Em condições favoráveis, essa microbiota permite que de forma gradual, os nutrientes sejam liberados para as plantas se nutrirem. Quando há diminuição dos microrganismos do solo, há queda no estoque temporário de nutrientes e o solo fica suscetível à lixiviação, tornando-se mais pobre.

Em ambientes naturais, com comunidades clímax, a microbiota se encontra em equilíbrio com o meio. Uma vez que atividades humanas atingem o solo, há alterações de microrganismos, que pode gerar um desequilíbrio. Por exemplo, incêndios e corte de flora, deixando o solo exposto, causa um empobrecimento da microbiota. Todavia, um manejo adequado do solo, pode tornar as atividades mais sustentáveis. Como na agricultura, que pode haver práticas que contribuem para melhor equilíbrio: a cobertura de solo com vegetação, adubação orgânica, rotação de cultura, entre outras, deixando o solo mais fértil.

Os grupos que representam a microbiota do solo são: bactérias, actinomicetos, fungos, algas e protozoários.

Microbiota humana

A microbiota intestinal é muito importante no processo digestivo. Ilustração: Designua / Shutterstock.com

Ao longo da evolução da vida no planeta, os vertebrados e microrganismos co-evoluíram. Existem trilhões de microrganismos que habitam o corpo humano, dentre eles, fungos, bactérias, vírus, etc. Eles se encontram em nossa boca, estômago, intestino, nos tratos respiratórios e urinários, externamente na pele e nos olhos. Cada indivíduo tem uma microbiota única, uma vez que tem como influência sua carga genética, tipo de nascimento (normal ou cesária), amamentação, alimentação, idade, contato diferente com microrganismos no externo, etc.

Eles estão em equilíbrio com o corpo humano e tem funções distintas: decompõem compostos que seriam tóxicos, na sua ausência, estimulam o sistema imunológico, estão presentes na síntese de algumas vitaminas e aminoácidos.

A microbiota intestinal (também chamada de flora intestinal) vem sendo bem estudada, pois ela tem forte influência em nossas vidas. Nosso hábito alimentar vai determinar a composição dela, como por exemplo, em artigos científicos foi identificado que uma dieta rica em fibras pode deixar o cólon mais ácido, que antibióticos causam mudanças na flora intestinal, ou que mudanças na alimentação leva a transformações na composição desses microrganismos.

Leia também:

Referências:

http://www.iac.sp.gov.br/publicacoes/publicacoes_online/pdf/microbiota.pdf

http://www.mma.gov.br/estruturas/chm/_arquivos/microb1.pdf

http://cienciahoje.org.br/artigo/a-microbiota-humana/

https://www.nexojornal.com.br/expresso/2018/11/14/O-que-%C3%A9-microbiota-e-por-que-ela-tem-sido-foco-de-pesquisas

Arquivado em: Ecologia