Biotina

Graduada em Ciências Biológicas (Unifesp, 2013)

A vitamina B7 é uma vitamina essencial, anteriormente chamada de vitamina H, também conhecida como coenzima R que faz parte do grupo de vitaminas do complexo B. É composta pelo vitâmero biotina que é formado por um anel heterocíclico de tetraidrotiofeno fusionado a um anel ureído e possui um grupamento carboxílico ligado ao anel de tetraidrotiofeno (o ácido valérico).

Molécula de Biotina (Vitamina H, Vitamina B7)

A biotina é uma importante coenzima para as enzimas carboxilases que estão envolvidas na síntese de ácidos graxos e nas bases nitrogenadas. Está presente no processo de gliconeogênese auxiliando a enzima piruvato carboxilase a transferir uma molécula de CO2 ao piruvato. Por isso, é uma molécula importante para o crescimento celular. Está envolvida em processos biológicos como manutenção dos níveis de glicose no sangue e na composição de cabelos e unhas e fortemente ligada à cromatina.

A síntese da biotina é feita utilizando-se dois precursores a alanina e a pimeloil-CoA sob ação de três enzimas pelas bactérias residentes no intestino, mas ainda não se tem estudos estabelecidos sobre as quantidades que esta microbiota é capaz de produzir. No geral ela é absorvida dos alimentos, após sofrer ação de peptidases, pois a maior parte da biotina é encontrada na natureza ligada à outras proteínas. Em seguida ela é absorvida pelas células do intestino e armazenada em diversos locais, principalmente no fígado.

Fontes de Biotina

As fontes naturais de biotina incluem cereais integrais, farelo de arroz, aveia, cevada, semente de girassol, lentilhas, nozes, cenoura, grão de soja, fígado, peixe, ovo entre outros. No entanto a quantidade em plantas pode variar de acordo com a estação e a estocagem. Também, no ovo cru existe uma glicoproteína a avidina que é capaz de se ligar de maneira não-covalente na biotina e é capaz de inibir sua absorção e ação, mas o cozimento pode impedir este bloqueio.

Falta de vitamina B7 no organismo

A deficiência em biotina por insuficiente ingestão é bastante rara de acontecer. Os sintomas são bem difusos, devido a atividade da biotina em reações bioquímicas diversas e incluem enfraquecimento do cabelo, com possibilidade de queda de cabelos e pelos do corpo, vermelhidão de regiões como boca, olhos, nariz e períneo, conjuntivite, erupções cutâneas, acidúria, formação de corpos cetônicos, hipotonia, letargia e problemas neurológicos como depressão e até mesmo alucinações.

Hipervitaminose B7

A hipervitaminose B7 não possui nenhuma toxicidade e nenhum sintoma documentado apesar de alguns estudos observarem que o excesso de biotina poder se ligar e inibir a atividade de enzimas desacetilases de histona, em camundongos.

Aplicações industriais

Além de todo papel biológico da biotina esta molécula também é amplamente utilizada na indústria de biotecnologia. O processo de ligar a biotina em outras moléculas, chama-se biotinilazação. Esse procedimento pode ser utilizado em algumas técnicas de laboratório, afim de se detectar ou de separar/purificar certas moléculas específicas. Através dessa marcação seguida pela técnica de cromatografia, por exemplo, é possível isolar certas moléculas, ou ainda, como nos ensaios de ELISA, anticorpos biotinilados são usados para reportarem a presença ou ausência de alguma molécula específica.

Referências:

David L. Nelson, Michael M. Cox , "Lehninger Principles of Biochemistry", 4ª edição, W. H. Freeman, 2005, ISBN 978-0-7167-4339-2

Zempleni J, Hassan YI, Wijeratne SS (2008). "Biotin and biotinidase deficiency". Expert Rev Endocrinol Metab. 3 (6): 715–724. doi:10.1586/17446651.3.6.715. PMC 2726758 Freely accessible. PMID 19727438.

Marquet A, Bui BT, Florentin D (2001). "Biosynthesis of biotin and lipoic acid". Vitam. Horm. Vitamins & Hormones. 61: 51–101. doi:10.1016/S0083-6729(01)61002-1. ISBN 978-0-12-709861-6. PMID 11153271

Zempleni J, Mock DM (1999). "Biotin biochemistry and human requirements". J Nutr Biochem. 10 (3): 128–138. doi:10.1016/S0955-2863(98)00095-3. PMID 15539280

<http://lpi.oregonstate.edu/mic/vitamins/biotin > acessado 05/12/17

<https://ods.od.nih.gov/factsheets/Biotin-HealthProfessional/ > acessado 05/12/17

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Bioquímica, Nutrição