Córnea

Mestre em Ciências Biológicas (Universidade de Aveiro-SP, 2013)
Graduada em Biologia (Universidade Santa Cecília-SP, 2003)

A córnea humana é um tecido saliente, avascular (característica rara no organismo) e transparente, é um material bicomposto elástico linear, no qual as fibras de colágeno fornecem uma característica de reforço. Com um epitélio não queratinizado, não pigmentado, está localizada na parte externa da camada que envolve o globo ocular. Com a face anterior com forma convexa, a córnea encontra-se banhada pelo filme lacrimal e sua face posterior côncava demarca a câmara anterior do olho que está humedecido pelo humor aquoso.

Ricamente inervado por fibras amielínicas, possuem receptores de pressão e de dor. A função da córnea é ser um componente refrativo e oferecer proteção para as estruturas internas do olho das agressões ambientais. Trata-se da primeira e mais vigorosa superfície refrativa do sistema óptico.

A sua estrutura é composta por cinco camadas que conferem uma resistência mecânica. São elas: epitélio, endotélio, membrana de Bowman, membrana de Descemet e estroma.

Estrutura da córnea. Ilustração: Alila Medical Media / Shutterstock.com

O epitélio possui junções intercelulares e uma complexa adesão. A superfície da córnea é revestida por um tecido epitelial escamoso e estratificado. Essa camada é lisa e é composta por numerosas terminações nervosas livres. Apresenta uma capacidade de regeneração elevada, evita a perda de líquidos e a entrada de agentes patogênicos.

A camada do endotélio mede de 4 a 6 mm de altura e 20 mm de comprimento, é um tecido pavimentoso simples. É importante que o tecido endotelial esteja sempre em plenitude para que a córnea seja transparente. Quando há perda das células endoteliais, ocorrem dois mecanismos para que o endotélio fique íntegro: o polimegatismo, que é o aumento das células endoteliais com formato hexagonal, e o pleomorfismo que é o aumento da forma dessas mesmas células.

A membrana de Bowman está localizada abaixo do epitélio e acima do estroma, constituída por fibras de colágeno que estão dispostas de forma aleatória e imersas em uma substância intercelular. É uma camada de matriz acelular que proporciona à córnea solidez e potência.

Bastante elástica por ser constituída pelas fibras colágenas, a membrana de Descemet possui uma espessura de 5-10 µm e recobre a superfície do estroma. Sua camada anterior está próxima do estroma e, do endotélio, está a camada posterior.

O estroma corresponde a 90% da espessura da córnea e exibe uma estrutura em camadas compreendendo mais de 200 lamelas. Cada lamela consiste em fibrilas de colágeno uniformemente estreitas, imersas em uma matriz hidratada e rica em proteoglicanos, glicoproteínas, sais e ceratócitos. Fibrilas dentro de uma dada lamela correm aproximadamente paralelas, mas subtendem grandes ângulos com aquelas em lamelas adjacentes. A forma desse agrupamento das fibras de colágeno determina a elasticidade da córnea, e por serem mais fortes, modelam o desempenho mecânico da córnea, ajuda a determinar a forma do filme lacrimal e, portanto, o estado refrativo.

A nitidez da imagem formada na retina depende das características das camadas da córnea, sendo assim, qualquer alteração – como por exemplo, a uniformidade e regularidade das células epiteliais, empilhamento das lamelas do estroma e a ausência de vasos – nesse tecido pode interferir na clareza do que é visto pelo sistema visual do ser humano.

Referências:

BOOTE, Craig et al. Lamellar orientation in human cornea in relation to mechanical properties. Journal of structural biology, v. 149, n. 1, p. 1-6, 2005.

CENTRALX ATLAS. O atlas do corpo humano. 2018. Disponível em: http://www.atlasdocorpohumano.com/. Acesso 03/05/2018.

RIBEIRO, M. C. S. As cores e a Visão e a Visão das Cores. Tese de Doutorado – Universidade da Beira Interior, 2011.

TORTORA, G. J.; GRABOWSKI, S. R. Corpo humano: fundamentos de Anatomia e Fisiologia. 6. Ed. Porto alegre: Artmed, 2006.

Arquivado em: Visão