Plantas ornamentais

Mestrado em Ciências Biológicas (INPA, 2015)
Graduação em Ciências Biológicas (UFAC, 2013)

Plantas ornamentais são espécies de plantas cultivadas pela beleza estética que proporcionam ao ser humano tendo outras múltiplas funções a partir do seu cultivo.

Hortência (Hydrangea macrophylla). Foto: mr.kriangsak kitisak / Shutterstock.com

A grande diversidade morfológica de flores e folhas e a variedade na composição de cores representam o grande valor ornamental que estas espécies vegetais proporcionam em estética e estado de beleza natural. A maioria das plantas ornamentais possuem flores grandes, vistosas e coloridas, folhagens de variadas texturas concolor ou discolores. Elas florescem em várias épocas do ano e quando associadas podem ornar interiores de casas, apartamentos, escritórios, lojas, shoppings centers, quintais e jardins urbanos proporcionando beleza estética e bem estar.

Manutenção

Para o bom desenvolvimento das plantas ornamentais elas precisam de manutenção frequente. Estas plantas devem ser cultivadas em solos ricos em matéria orgânica, bem estruturados, com boa drenagem e irrigados periodicamente. O cultivo é o cuidado empreendido na remoção de plantas daninhas, em podas de formação quando necessário, na remoção de galhos e folhas secas e reposição de adubo, principalmente no período de chuvas são cuidados fundamentais.

Esta manutenção frequente previne a ocorrência de doenças e pragas. Esses cuidados tornam as plantas mais vigorosas para o aproveitamento máximo do seu potencial. As plantas ornamentais possuem diversos hábitos e podem crescer como lianas, herbáceas, arbustivas ou arbóreas. Muitas plantas ornamentais são de uso múltiplo e também podem servir como alimentícias, medicinais, terapêuticas, frutíferas, aromáticas entre outras.

Produção

A produção, distribuição e comercialização de flores e plantas ornamentais é uma atividade consolidada no Brasil e tem importância econômica em vários estados brasileiros. Plantas ornamentais podem ser comercializadas em lojas de floricultura, em Garden centers, supermercados, feiras comunitárias de plantas e flores, em mercados entre outros. A prática de trocar mudas de plantas ornamentais entre amigos e vizinhos também faz com que estas plantas se mantenham domesticadas e cultivadas por longos períodos como tradição e cultura local ou regional.

A inserção de plantas nativas com potencial ornamental na cadeia produtiva e a disponibilização para a comercialização representam um diferencial no mercado. Estas novidades podem acompanhar as tendências a tornarem-se cada vez mais próximos dos produtos considerados de impacto ambiental reduzido. A maioria das plantas ornamentais cultivadas nas mais diversas partes do mundo geralmente não são nativas e sim exóticas. No Brasil e Nova Zelândia, 70% das plantas registradas como plantas exóticas invasoras foram introduzidas para fins ornamentais. O manacá-da-serra (Tibouchina mutabilis), azaléia (Azalea indica) congéia (Congea tomentosa), agapanto (Agapanthus africanus) bela-emília (Plumbago capensis), pentas (Pentas lanceolata), azulzinha (Evolvulus glomeratus) são alguns exemplos.

Paisagismo

Foto: Naypong / Shutterstock.com

O paisagismo com espécies não nativas ou alóctones contribui para uniformização das paisagens. O uso de espécies nativas ou autóctones colaboram para a preservação da flora local e são capazes de reforçar identidades regionais. Na Amazônia é comum a utilização de espécies vegetais no uso ornamental em quintais urbanos para a manutenção da relação com os aspectos sociais que este tipo de atividade proporciona.

As plantas ornamentais são importantes na cultura e no bem estar dos moradores das cidades amazônicas. O cultivo de plantas ornamentais auxilia na ambiência da residência e melhora a paisagem, gera bem estar aos moradores pelo espaço de lazer e contribui para a conservação de recursos genéticos. São cultivadas em áreas restritas, perto da cozinha para facilitar os cuidados, assim recebem maior atenção.

O cuidado com as plantas ornamentais presentes nos quintais amazônicos é uma tradição que se dá de pai para filho ao longo dos anos e são importantes para a conservação dos recursos vegetais da floresta (entre eles os genéticos) e cultural como das tradições locais. Entre as plantas ornamentais mais frequentes nos quintas da Amazônia Sul Ocidental estão a espada-de-são-jorge (Sansevieria trifasciata), comigo-ninguém-pode (Dieffenbachia amoena), ixora (Ixora coccinea), hortência (Hydrangea macrophylla), árvore-da-felicidade (Polyscias guilfoylei), boa-noite (Catharanthus roseus), palmeira-areca (Dypsis lutescens) coqueiro (Cocos nucifera) sendo de fácil propagação e manejo.

Referências bibliográficas:

Siviero, A., Delunardo, T. A., Haverroth, M., Oliveira, L. C.; Roman, A. L., Mendonça, M. S. Plantas ornamentais em quintais urbanos de Rio Branco, Brasil. Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Cienc. Hum., Belém, v. 9, n. 3, p. 621-638, set-dez. 2014

Ceratti, M., Paiva, P. D. O., Sousa, M. e Tavares, T. S. Comercialização de flores e plantas ornamentais no segmento varejista no município de Lavras/MG. Ciênc. agrotec. [online]. 2007, vol.31, n.4 [citado 2019-12-18], pp.1212-1218. Acessado em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-70542007000400040&lng=en&nrm=iso>. ISSN 1413-7054.  http://dx.doi.org/10.1590/S1413-70542007000400040.

Heiden, G., Barbieri, R., Stumpf, E. R. T. Considerações sobre o uso de plantas ornamentais nativas. Revista Brasileira de Horticultura Ornamental. V. 12, n. 1, p. 2-7, 2006