Plantas ornamentais

Mestrado em Ciências Biológicas (INPA, 2015)
Graduação em Ciências Biológicas (UFAC, 2013)

Ouça este artigo:

Plantas ornamentais são espécies de plantas cultivadas pela beleza estética que proporcionam ao ser humano tendo outras múltiplas funções a partir do seu cultivo.

Hortência (Hydrangea macrophylla). Foto: mr.kriangsak kitisak / Shutterstock.com

A grande diversidade morfológica de flores e folhas e a variedade na composição de cores representam o grande valor ornamental que estas espécies vegetais proporcionam em estética e estado de beleza natural. A maioria das plantas ornamentais possuem flores grandes, vistosas e coloridas, folhagens de variadas texturas concolor ou discolores. Elas florescem em várias épocas do ano e quando associadas podem ornar interiores de casas, apartamentos, escritórios, lojas, shoppings centers, quintais e jardins urbanos proporcionando beleza estética e bem estar.

Conteúdo deste artigo

Manutenção

Para o bom desenvolvimento das plantas ornamentais elas precisam de manutenção frequente. Estas plantas devem ser cultivadas em solos ricos em matéria orgânica, bem estruturados, com boa drenagem e irrigados periodicamente. O cultivo é o cuidado empreendido na remoção de plantas daninhas, em podas de formação quando necessário, na remoção de galhos e folhas secas e reposição de adubo, principalmente no período de chuvas são cuidados fundamentais.

Esta manutenção frequente previne a ocorrência de doenças e pragas. Esses cuidados tornam as plantas mais vigorosas para o aproveitamento máximo do seu potencial. As plantas ornamentais possuem diversos hábitos e podem crescer como lianas, herbáceas, arbustivas ou arbóreas. Muitas plantas ornamentais são de uso múltiplo e também podem servir como alimentícias, medicinais, terapêuticas, frutíferas, aromáticas entre outras.

Produção

A produção, distribuição e comercialização de flores e plantas ornamentais é uma atividade consolidada no Brasil e tem importância econômica em vários estados brasileiros. Plantas ornamentais podem ser comercializadas em lojas de floricultura, em Garden centers, supermercados, feiras comunitárias de plantas e flores, em mercados entre outros. A prática de trocar mudas de plantas ornamentais entre amigos e vizinhos também faz com que estas plantas se mantenham domesticadas e cultivadas por longos períodos como tradição e cultura local ou regional.

A inserção de plantas nativas com potencial ornamental na cadeia produtiva e a disponibilização para a comercialização representam um diferencial no mercado. Estas novidades podem acompanhar as tendências a tornarem-se cada vez mais próximos dos produtos considerados de impacto ambiental reduzido. A maioria das plantas ornamentais cultivadas nas mais diversas partes do mundo geralmente não são nativas e sim exóticas. No Brasil e Nova Zelândia, 70% das plantas registradas como plantas exóticas invasoras foram introduzidas para fins ornamentais. O manacá-da-serra (Tibouchina mutabilis), azaléia (Azalea indica) congéia (Congea tomentosa), agapanto (Agapanthus africanus) bela-emília (Plumbago capensis), pentas (Pentas lanceolata), azulzinha (Evolvulus glomeratus) são alguns exemplos.

Paisagismo

Foto: Naypong / Shutterstock.com

O paisagismo com espécies não nativas ou alóctones contribui para uniformização das paisagens. O uso de espécies nativas ou autóctones colaboram para a preservação da flora local e são capazes de reforçar identidades regionais. Na Amazônia é comum a utilização de espécies vegetais no uso ornamental em quintais urbanos para a manutenção da relação com os aspectos sociais que este tipo de atividade proporciona.

As plantas ornamentais são importantes na cultura e no bem estar dos moradores das cidades amazônicas. O cultivo de plantas ornamentais auxilia na ambiência da residência e melhora a paisagem, gera bem estar aos moradores pelo espaço de lazer e contribui para a conservação de recursos genéticos. São cultivadas em áreas restritas, perto da cozinha para facilitar os cuidados, assim recebem maior atenção.

O cuidado com as plantas ornamentais presentes nos quintais amazônicos é uma tradição que se dá de pai para filho ao longo dos anos e são importantes para a conservação dos recursos vegetais da floresta (entre eles os genéticos) e cultural como das tradições locais. Entre as plantas ornamentais mais frequentes nos quintas da Amazônia Sul Ocidental estão a espada-de-são-jorge (Sansevieria trifasciata), comigo-ninguém-pode (Dieffenbachia amoena), ixora (Ixora coccinea), hortência (Hydrangea macrophylla), árvore-da-felicidade (Polyscias guilfoylei), boa-noite (Catharanthus roseus), palmeira-areca (Dypsis lutescens) coqueiro (Cocos nucifera) sendo de fácil propagação e manejo.

Referências bibliográficas:

Siviero, A., Delunardo, T. A., Haverroth, M., Oliveira, L. C.; Roman, A. L., Mendonça, M. S. Plantas ornamentais em quintais urbanos de Rio Branco, Brasil. Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Cienc. Hum., Belém, v. 9, n. 3, p. 621-638, set-dez. 2014

Ceratti, M., Paiva, P. D. O., Sousa, M. e Tavares, T. S. Comercialização de flores e plantas ornamentais no segmento varejista no município de Lavras/MG. Ciênc. agrotec. [online]. 2007, vol.31, n.4 [citado 2019-12-18], pp.1212-1218. Acessado em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-70542007000400040&lng=en&nrm=iso>. ISSN 1413-7054.  http://dx.doi.org/10.1590/S1413-70542007000400040.

Heiden, G., Barbieri, R., Stumpf, E. R. T. Considerações sobre o uso de plantas ornamentais nativas. Revista Brasileira de Horticultura Ornamental. V. 12, n. 1, p. 2-7, 2006