Alter ego

Por Ana Lucia Santana
O alter ego de uma pessoa, em uma análise estrita, é um ‘outro eu’, uma personalidade alternativa de alguém. Esta expressão provém do latim ‘alter’, que significa outro, ou seja, um eu diferente. Pode-se encontrar este termo tanto na literatura, nas interpretações de obras literárias, quanto na psicologia.

Literariamente é possível definir o alterego como a identidade oculta de um ser fictício ou como um artifício do autor de um livro para se revelar ao leitor na pele de um personagem, de forma discreta e indireta. Em geral ele apresenta muitas das características de seu criador, as quais podem ser descobertas em uma análise mais profunda.

Psicologicamente esta expressão refere-se a um eu que jaz na inconsciência. Este conceito está relacionado à face secreta, ao ângulo desconhecido da identidade de uma pessoa, enquanto o ego, em contraposição, é definido como a fração rasa da mente, povoada por idéias, raciocínios, emoções.

Outra conotação do alterego diz respeito à existência de um amigo tão próximo, íntimo e leal, que é impossível se afastar dele. Nele o indivíduo confia cegamente e chega a ver a si mesmo refletido nesta pessoa. O que significa que é capaz de elegê-lo seu representante em tudo, realmente acreditando que ele agirá como ele o faria em determinadas situações.

Normalmente se encontra esta situação nos meios políticos, pois um governante quase sempre tem como alterego um assessor que predomina entre outros, e que pode, assim, encarregar-se tranqüilamente das tarefas que seu líder lhe delega, como se fosse ele mesmo.

Quando as outras pessoas olham para nós, percebem através dos sentidos o que somos, o que nos fraciona, nos divide, pois aí é possível encontrar a personalidade e também aquilo que a pessoa não revela sobre si mesma, ou seja, seu eu oculto, a persona alternativa ou o alterego.

Todos devem, portanto, a cada momento, tentar se construir novamente, unir suas várias faces, e edificar um todo. Onde está então o alterego, entre estas várias divisões da psique? Justamente no mais profundo do ser, sendo normalmente a face na qual as outras pessoas realmente confiam.

Várias esferas científicas procuram compreender esta instância psíquica. A física, a biologia, a teologia, a filosofia e a psicologia já realizaram alguns avanços neste sentido, levantando sempre a eterna questão abordada pelo Homem ao longo da História – quem somos nós?

Na literatura é possível encontrar vários alteregos famosos – Batman, alterego de Bruce Wayne; Homem-Aranha, alterego de Peter Parker; Hulk, alterego de Bruce Banner; Clark Kent, alterego do Superman, representando aqui uma inversão da história dos super-heróis, pois neste caso não há um herói embutido em um ser comum, mas um personagem verdadeiramente heróico que se esconde criando um humano fictício. Aqui é o jornalista que representa o alterego de um herói, e não o contrário.

Alguns alteregos famosos relacionados a escritores são os controvertidos Bernardo Soares e Álvaro de Campos, que disputam entre si o posto de alterego do poeta português Fernando Pessoa; Emília, personalidade oculta de Monteiro Lobato; Gregor Samsa, alterego de Franz Kafka; Tom Bombadil, o eu secreto de J. R. R. Tolkien, entre muitos outros alteregos.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Alterego
http://joseph.blogger.com.br/2009_08_16_archive.html