J. R. R. Tolkien

Mestre em Ciências Humanas (CEFETRJ, 2014)
Especialista em Linguística, Letras e Artes (CEFETRJ, 2013)
Graduada em Letras - Literatura e Língua Portuguesa (UFRJ, 2011)

John Ronald Reuel Tolkien é o nome completo do premiado filósofo, escritor e professor universitário, conhecido internacionalmente por J. R. R. Tolkien. Autor de obras consagradas, como O Hobbit e O Senhor do Anéis, recebeu o título de doutor em Letras e Filologia pela Universidade de Liège e Dublin. Nascido na África, em Bloemfontein, na República do Estado Livre de Orange, atual África do Sul, aos três anos de idade, juntamente a sua mãe e irmão, passou a viver na Inglaterra, terra natal de seus pais, onde chegou ser nomeado pela rainha Elizabeth II como Comandante de Ordem do Império Britânico em 1972.

O fascínio pela Linguística surgiu cedo e levou Tolkien à licenciatura em Letras em Exeter. Lutou na Segunda Guerra Mundial e, em seguida, passou a dedicar-se à escrita dos primeiros rascunhos do que mais tarde viria a se tornar o seu “mundo secundário”, palco de suas obras mundialmente famosas, tais como O Senhor dos Anéis e O Silmarillion, esta última, publicação póstuma, é apontada como uma de suas principais criações.

Na Universidade de Oxford, ganhou fama e renome na área como destacado professor de anglo-saxão, considerado um dos maiores especialistas no assunto. É apontado como o pai da literatura fantástica e considerado por muitos como um dos maiores e mais bem sucedidos autores de literatura fantástica de todos os tempos.

Durante parte da infância, Tolkien viveu na rural Sarehole, ao sul de Birmingham, local que inspirou o famoso Shire. Mais tarde, seguiu para a parte urbana de Birmingham para estudar. A casa ficava próxima a uma estação de trem e as outras estações apresentavam nomes curiosos – como Nantyglo, PerhiwceibereSeghenydd – que despertaram a curiosidade linguística do menino Tolkien. Paralelamente a isso, sua infância foi fortemente marcada pelos contos de fadas apresentados por sua mãe, que estimularam a imaginação de Tolkien para a criação de outros mundos e de seres fantásticos.

Após a morte da mãe, os irmãos órfãos passaram aos cuidados do padre Francis Morgan, e o jovem Tolkien demonstrou grande talento nos estudos linguísticos, estudando línguas antigas e modernas, tendo influenciado fortemente sua paixão por idiomas e suaforma de criação de outras realidades. Para ele a composição era como um passatempo em que primeiro vinha a palavra e depois vinha a história.

Uma pesquisa encomendada em 1996 pela livraria britânica Waterstone’s em parceria com o canal de televisão Channel 4 apontou “O senhor dos Anéis” como o melhor livro do século e “O Hobbit” figurou por entre os vinte melhores. Tolkien vendeu mais de 50 milhões de livros e foi traduzido para mais de trinta idiomas.

Ainda que a primeira publicação, “O Hobbit”, tenha se dado em 1937, e mesmo com o sucesso de “O Senhor dos Anéis”, Tolkien se tornou uma celebridade e ganhou fama na década de 1960, com os esforços dos fãs de sua obra, que passaram a se organizar e se encontrar em todo o mundo.

A criação de mundos complexos inaugurou um novo gênero literário, a literatura fantástica, alimentando novas gerações de autores a criarem seus mundos a partir da realidade virtual criada por Tolkien, como Frank Herbert (“Duna”) e Terry Pratchett (“A Cor da Magia”), entre outros.

Arquivado em: Biografias, Escritores