Escritores do Concretismo

Por Ana Lucia Santana
O Concretismo foi uma corrente que emergiu das vanguardas em 1953. Primeiro se manifestou na esfera musical, mais tarde na poética e, enfim, nas artes. Seus adeptos clamavam pela Razão e negavam o movimento expressionista, as eventualidades, as formas abstratas do gênero lírico, que eles consideravam ocasionais. Nas produções concretistas não se percebe a presença de sentimentos íntimos mais profundos nem qualquer ênfase na temática, pois seu objetivo era eliminar a diferença entre a estrutura formal e o tema abordado. Assim pretendiam gerar uma linguagem renovada.

Seu principal porta-voz é o núcleo de São Paulo, o qual gerou a Revista Noigandres, nos anos 50. Este grupo era comandado pelos irmãos Augusto de Campos e Haroldo de Campos, bem como por Décio Pignatari e José Lino Grunewald. O discurso é essencialmente imagético. Da década de 60 em diante poetas e músicos filiados a esta escola adotaram questões sociais; desta forma emergiram diversas modalidades pós ou neo-concretistas.

Autores e Obras do Concretismo

  • José Lino Grunewald: Um e dois; Escreviver; Carlos Gardel, lunfardo e tango; Um Filme é um Filme: o Cinema de Vanguarda dos Anos 60; O Grau Zero do Escreviver; Escreviver.
  • Haroldo de Campos: Galáxia; Xadrez de Estrelas; Signância: Quase Céu; A Educação dos Cinco Sentidos; Crisantempo; A Máquina do Mundo Repensada.  
  • Augusto de Campos: Linguaviagem; Poemóbiles; Caixa Preta; Poesia é Risco; Não; O Rei Menos o Reino; Revisão de Sousândrade; Balanço da Bossa; Teoria da Poesia Concreta; Poesia Antipoesia Antropofagia; À Margem da Margem; Música de Invenção.
  • Décio Pignatari: Poesia Pois É Poesia; Panteros; Bili com Limão Verde na Mão; Céu de Lona.

Fontes:
http://www.not1.com.br/poesia-concreta-caracteristicas-poemas-e-autores-concretismo/
http://pt.wikipedia.org/wiki/Concretismo
http://www2.uol.com.br/augustodecampos/obras.htm