Literatura alemã

No período da literatura alemã medieval foram escritas as primeiras obras das quais se tem conhecimento no país. Nesta época, os autores escreviam em latim e em alemão alto antigo. Um dos livros mais importantes do período medieval das letras germânicas chama-se Hildebrandslied, uma peça pequena que apresenta versos aliterados. Este título foi um dos poucos sobreviventes, mas é fruto de uma longa tradição oral. Entre outras obras importantes para o período, destacam-se: “Heliand”, que retratava a vida de Cristo, “Hildebrandslied” (Harmonia do Evangelho), de Ottfried von Weissenburg, e “Ludwigslied”, livro esplêndido, porém pequeno.

Naquele mesmo período, a literatura alemã medieval tinha autores como Reinmar der Alte, Herzog Ernst, Ulrich von Türheim,  Konrad von Würzburg, Heinrich von Freiberg, Rudolf von Ems, Heinrich Frauenlob, entre outros.

Após esta primeira fase, a literatura alemã entra em seu período Barroco, considerado um dos mais ricos em poesia e prosa. Refletindo as experiências e traumas da Guerra dos 30 Anos, séries de combates entre diversas nações europeias, surgiram obras como as de Andreas Gryphius e Daniel Caspar von Lohenstein, que recontavam temas violentos.

Após o Barroco, a literatura da Alemanha entra no Século das Luzes, refletindo a filosofia da Europa no século XVIII. Essa escola prezava pelo raciocínio e o conhecimento, criando um grupo de intelectuais que buscavam o progresso e eram contra a tirania e as superstições. As ideias deste grupo influenciaram as revoluções na França, nos EUA, e deram bases ao pensamento socialista.

Já na segunda parte do século XVIII, surge o movimento Sturm und Drang (tormenta e estresse), que durou de 1767 a 1785. Neste momento, o autor mais conhecido é Goethe, autor de Os Sofrimentos do Jovem Werther. Além dele, surgem escritores importantes como Klopstock, J. M. R. Lenz, Friedrich Müller e Schiller. Após o Sturm und Drang, entra em cena o Período Clássico, muitas vezes comparado com o Romantismo. Os autores desta escola buscam a antiguidade clássica, uma emulação desta época. O reprimido e o formal são mais valorizados do que o dionisíaco, uma oposição as ideias do filósofo Nietzsche.

Após o Período Clássico, aparece o Romantismo. Neste movimento, originado no fim do século XVIII, as características principais das obras são fortes emoções, liberdade e imaginação. Então, surge um movimento chamado Alemanha Jovem, que apresentou autores e obras entre os anos de 1830 a 1850. Foi uma reação contra o romantismo, mais política e ativista que deu voz a jovens poetas, jornalista e pensadores.

Depois surgem três importantes movimentos. O Naturalismo, mais voltado ao cinema e ao teatro com a ideia de apresentar uma ilusão perfeita da realidade. O Expressionismo, no qual os autores prezavam pela distorção da realidade para causar sensações diferentes no público. Esta escola ficou bastante famosa no que se refere ao cinema. Por fim, o Dadaísmo, que foi um protesto contra a própria arte e as barbáries da guerra, influenciando o Surrealismo de Breton, Dalí e Buñuel.

Fontes:
http://www.alemao.biz/ptgerman/literature.asp
http://www.goethe.de/ins/br/lp/kul/dub/lit/pt7747620.htm
http://seer.fclar.unesp.br/itinerarios/article/view/2829

Arquivado em: Literatura