Vinícius de Moraes

Ensino Superior em Comunicação (Universidade Metodista de São Paulo, 2010)

Marcus Vinícius de Mello Moraes foi um poeta e compositor brasileiro. Também atuou como dramaturgo e diplomata.

"Garota de Ipanema", composição em parceria com Antônio Carlos Jobim, tornou-se um hino da música popular brasileira.

Vinicius de Moraes nasceu em 19 de outubro de 1913, no Rio de Janeiro. Seu pai era funcionário público e também poeta e a sua mãe era pianista. Demonstrou interesse por poesia desde cedo e realizou seus estudos no colégio jesuíta Santo Inácio. Fez parte do coral da igreja, onde despertou e desenvolveu seus talentos musicais.

Foto de Vinícius de Moraes.

Vinícius de Moraes. Foto: Ricardo Alfieri / Revista Gente y la actualidad. Año 5 numero 241. 5/03/1970. Buenos Aires, Argentina / via Wikimedia Commons

Em 1929 ingressou no curso de Direito da Faculdade Nacional do Rio de Janeiro e em 1933, o ano de sua formatura, publicou "O Caminho Para a Distância".

Não exerceu a advocacia, foi trabalhar como censor cinematográfico. Em 1938 recebeu uma bolsa de estudos e foi para Inglaterra estudar inglês e literatura na Universidade de Oxford. Lá trabalhou na BBC londrina até 1939.

Em 1943 foi aprovado em concurso para diplomata e mudou-se para os Estados Unidos, onde assumiu cargo de vice-cônsul em Los Angeles. Nessa época escreveu o livro "Cinco Elegias".

Entre 1953 e 1963 serviu em Paris, depois foi para Montevidéu e retornou à Paris. Voltou para o Brasil em 1964 e dedicou-se à poesia e à música popular brasileira.

Fez parcerias musicais com diversos artistas renomados, entre eles Toquinho, Tom Jobim, Baden Powell, João Gilberto, Francis Hime, Carlos Lyra e Chico Buarque.

Suas músicas de maior notoriedade são "Garota de Ipanema", "Gente Humilde", "Aquarela", "A Casa", "Arrastão", "A Rosa de Hiroshima", "Berimbau", "A Tonga da Mironga do Kaburetê", "Canto de Ossanha", "Insensatez", "Eu Sei Que Vou Te Amar" e "Chega de Saudade".

Compôs a trilha sonora do filme Orfeu Negro, que conquistou a Palma de Ouro no Festival de Cinema de Cannes em 1959 e o Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 1960.

Em 1961 compôs Rancho das Flores, baseado no tema “Jesus, Alegria dos Homens”, de Johann Sebastian Bach.
Junto a Edu Lobo, venceu o Primeiro Festival Nacional de Música Popular Brasileira com a música "Arrastão".

Participou de shows com importantes personalidades da música, como Chico Buarque de Hollanda, Elis Regina, Dorival Caymmi, Maria Creuza, Miúcha e Maria Bethânia.

Em 1980, lançou o Álbum “Arca de Noé”, cantando músicas de gênero infantil em parceria com vários intérpretes. Esse álbum foi transformado em um especial para a televisão.

A obra poética de Vinícius teve duas fases: a primeira é voltada para o lado místico e cristão e a segunda fase aborda o cotidiano, exaltando a figura feminina e colocando o amor em destaque.

Vinícius de Moraes também se envolveu com os problemas sociais de sua época. Produziu poemas belos que serviram como instrumento de relevantes alertas. Podemos observar exemplos disso em "A Rosa de Hiroshima" e na parábola "O Operário em Construção".

Vinicius casou-se nove vezes e teve cinco filhos. Faleceu no Rio de Janeiro em 09 de julho de 1980, de complicações causadas pela isquemia cerebral.

Algumas obras:

  • O Caminho Para a Distância, 1933
  • Forma e Exegese, 1936
  • Novos Poemas, 1938
  • Cinco Elegias, 1943
  • Poemas, Sonetos e Baladas, 1946
  • Pátria Minha, 1949
  • Orfeu da Conceição, 1954
  • Livro de Sonetos, 1956
  • Pobre Menina Rica, 1962
  • O Mergulhador, 1965
  • Cordélia e O Peregrino, 1965
  • A Arca de Noé, 1970
  • Chacina de Barros Filho
  • O Dever e o Haver
  • Para Uma Menina com uma Flor
  • Para Viver um Grande Amor
  • Ariana, a Mulher
  • Antologia Poética
  • Novos Poemas II

Arquivado em: Biografias, Escritores, Música