As Meninas

Obra escrita em 1973, por Lygia Fagundes Telles, o romance As Meninas traça um paralelo entre a vida de três jovens - Ana Clara, Lia e Lorena - que vivem em um pensionato de freiras em São Paulo durante o período da ditadura militar no Brasil.

Com personalidades, histórias de vida e sonhos totalmente diferentes, a história é vista sob a óptica das três personagens. O foco narrativo em 1ª pessoa, desloca-se constantemente para o fluxo de consciência das três amigas, que se entrevistam, que se apresentam umas às outras e ao leitor, que refletem continuamente sobre si mesmas e umas sobre as outras, arrastando-nos nessas frequentes invasões à privacidade de Ana Clara, Lorena e Lia.

Existe uma dificuldade inicial para a leitura até a identificação do estilo peculiar de cada personagem, pois cada uma delas se exprime dentro de seu "dialeto" coloquial - o discurso mais elaborado e culto de Lorena, o regionalismo politicamente engajado de Lia e o pensamento confuso e truncado de Ana Clara. Superada essa dificuldade, o leitor mergulha de corpo e alma no universo fantástico dessas três meninas encantadoras, representantes autênticas daquele que foi um dos períodos mais importantes e difíceis para a emancipação da mulher, para a liberdade de pensamento e para a realização individual dentro de um universo politicamente conturbado.

Assim descobre-se o universo das três jovens universitárias:

Lorena, filha de família burguesa, é culta, virgem e sonhadora. Possui em seu passado a trágica morte de seu irmão que levou seu pai ao sanatório e sua mãe à futilidade.  É apaixonada por um homem casado, M.N., e espera durante toda a narrativa que ele a ligue.

Ana Clara, linda como uma modelo, divide-se entre o noivo rico e o amante traficante, é viciada em drogas, é conhecida pelas amigas como Ana “Turva”, por ser misteriosa e ter uma personalidade agressiva. Sua mãe era prostituta e, quando criança, a menina tinha sido abusada sexualmente.

Lia, filha de baiana e alemão, vai para São Paulo estudar Ciências Sociais fugindo da superproteção da mãe e do passado sombrio do pai, um ex-militar nazista. Durante seu curso, envolve-se na militância política contra a ditadura, onde presencia a prisão de seu namorado.

A autora não se prende nos sub-enredos de suas personagens, mas em mostrar seus sentimentos, pensamentos, relembrar as situações vividas, sensações que vêm em suas memórias.

A maior parte do enredo se passa no quarto de Lorena que, por ser o mais acolhedor e com maiores recursos disponíveis, é o ponto de encontro das amigas.

Outro fato marcante e indiscutível no livro “As Meninas” é a forma inteligente por meio da qual a autora fala sobre a época em que se vivenciava a ditadura de 64. Lygia expõe em cada personagem um seguimento da época.

Obra de grande coragem na época de seu lançamento (1973), por descrever uma sessão de tortura numa época em que o assunto era rigorosamente proibido, As meninas acabou por se tornar, ao longo do tempo, um dos livros mais aplaudidos pela crítica e também um dos mais populares entre os leitores da autora.

Fonte:
http://www.passeiweb.com/na_ponta_lingua/livros/analises_completas/a/as_meninas

Arquivado em: Livros