Gado Chianina

Por Débora Carvalho Meldau
A raça Chianina originou-se no Vale de Chiana, localizado nas províncias de Siena e Arezzo, na Itália. Acredita-se que esta raça seja resultado da cruza entre Bos primigenius e Bos brachyceros. Sempre foi utilizada no trabalho, sendo que na Roma antiga, era utilizada para conduzir luxuosas carruagens em dias de festa.

No Brasil, sua introdução começou na década de 1950, no estado de São Paulo, com a importação de 8 exemplares. Devido à sua extraordinária capacidade de produção de carne, houve posteriormente, a aquisição de novos lotes, no período de 1964 a 1972, para os estados de São Paulo, Pernambuco e Bahia.

Hoje, a raça Chianina é uma das maiores raças bovinas do mundo, em tamanho e peso, pois os machos podem alcançar 1,80 m de altura e até 1300 kg de peso vivo, chegando a ganhar diariamente 1,2 kg de peso. É comum observar touros de apenas 1 ano com um peso acima de 350 kg.

 

Este gado possui as seguintes características raciais:

  • Pelagem: cor branca porcelana em ambos os sexos, apresentando tonalidades cinza clara nos machos, especialmente na região anterior do corpo; possuem pêlos finos, curtos e sedosos, com pigmentação mais escura nas extremidades; a pele é fina, flexível, solta e pigmentada de preto.
  • Cabeça: pequena e relativamente leve; perfil reto e marrafa ligeiramente convexa; orelhas pequenas, retas e de fácil mobilidade; olhos vivos, mas não são salientes; chifres curtos saindo para fora e curvando-se para diante e ligeiramente para cima, sendo escuros nos animais novos e claros na base e pretos nas extremidades nos animais adultos; o espelho nasal é preto, com narinas abertas.
  • Pescoço: curto e bem musculoso nos machos, possuindo comprimento médio nas fêmeas; barbela discretamente desenvolvida, estendendo regularmente do queixo ao externo.
  • Corpo: tronco cilíndrico, profundo, longo e bem recoberto de musculatura; espáduas musculosas e mais altas do que o dorso; costelas longas, arqueadas e afastadas entre si; giba pequena e um pouco à frente, na cernelha; garupa uniformemente larga, comprimento pouco maior do que sua largura; cauda harmoniosamente inserida, chegando à altura do jarrete; cascos pretos e resistentes; umbigo curto; úbere discretamente volumoso na vaca em lactação, com tetas normalmente desenvolvidas e uniformemente distribuídas.

Fontes:
http://www.bichoonline.com.br/racas/bovino/chianina.htm
http://www.criareplantar.com.br/pecuaria/bovinodecorte/raca.php?tipoConteudo=texto&idConteudo=928
http://www.ourofino.com/portal/node/657
http://www.agraria.org/razzebovinecarne/chianina.htm