Anarquismo Pós-Esquerdismo

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

O Anarquismo Pós-Esquerdismo é uma corrente do Anarquismo não satisfeita com as ideias da esquerda tradicional.

A história das ideias de esquerda começa na Inglaterra do século XVIII, em função dos impactos causados pela Revolução Industrial. A ascensão de uma nova forma de produção e de um novo sistema, o capitalismo, ocorreu acompanhada pelos exageros no trabalho. Homens, mulheres e crianças trabalhavam durante longuíssimas horas em péssimas condições e recebendo salários pífios. A situação degradante não demorou se converter em revolta e na formulação de ideologias que visavam melhorar a sociedade. No século XIX, Karl Marx formulou sua teoria sobre o Socialismo que ainda hoje é muito influente na sociedade. Marx e o Socialismo foram fundamentais para elaboração de muitas outras ideias de esquerda.

Entre as correntes de esquerda que surgiram e mais chamaram a atenção no século XIX estava o Anarquismo. Esta vertente do pensamento de esquerda tem como proposta original a eliminação do Estado, do governo. Criando, assim, comunidades nas quais as pessoas se autorregulariam. Mas também o Anarquismo recebeu críticas e novas formulações, adaptando-se com o passar do tempo. Dentre as quais está o Anarquismo Pós-Esquerdismo.

O Anarquismo Pós-Esquerdismo é também chamado de Anarquismo Pós-Esquerdista ou simplesmente Pós-Esquerdismo. Trata-se de uma corrente descontente com a esquerda tradicional que busca se desvincular do confinamento gerado por certas ideologias. Seu principal objetivo é promover a insurreição social, porém rejeitando as organizações ligadas aos movimentos de esquerda.

O Anarquismo Pós-Esquerdismo cresceu após a queda da União Soviética, que praticava o socialismo autoritário. Suas ideias foram defendidas por vários grupos e por líderes de destaque no movimento, como Bob Black. Todavia o Anarquismo Pós-Esquerdista foi alvo de muitas críticas também. E um dos mais notáveis críticos foi Murray Bookchin. Ambos eram anarquistas, porém divergiam em suas abordagens. Isso é algo normal para os anarquistas. Os Anarquistas Pós-Esquerdismo, por exemplo, é muito crítico ao Plataformismo e ao Anarcossindicalismo, que são duas escolas anarquistas clássicas. Por outro lado, eles possuem bom relacionamento e afinidades com o Anarcoprimitivismo, com o Anarco-Individualismo e com o Anarquismo Insurrecionário.

Fontes:
http://repositorio.unb.br/handle/10482/6974
http://takku.net/mediagallery/mediaobjects/orig/d/d_black_-_anarchy_after_leftism.pdf
http://revistas.pucsp.br/index.php/verve/article/viewFile/5095/3623

Arquivado em: Política