Demagogia

Mestrado em História (UFJF, 2013)
Graduação em História (UFJF, 2010)

Demagogia é o uso de uma retórica passional apelativa para obter poderes políticos.

Proveniente do grego, Demagogia é um termo que significa literalmente a arte de conduzir o povo. Na origem da utilização da palavra, ela representava apenas o indivíduo que era capaz de conduzir o povo. Não era dotada de um sentido pejorativo e, por isso mesmo, eram utilizadas para identificar grandes filósofos da antiguidade que eram defensores da democracia, inclusive. Entretanto a utilização do termo sofreu alterações de sentido e deixou de ser neutro para caracterizar novos líderes que tinham suas posturas questionadas quanto à democracia e que não eram provenientes de famílias tradicionais. Isso também aconteceu ainda na Grécia Antiga, especialmente após a morte de Péricles. A partir de então se formulou o sentido que é correntemente utilizado nos dias atuais, identificando um indivíduo que estimula e abre espaço para os medos e os preconceitos do povo.

Ainda na Grécia Antiga, o termo Demagogia com seu caráter pejorativo foi muito difundido em função da utilização do mesmo por grandes filósofos como Platão e Aristóteles. Com o passar do tempo, o termo foi sendo empregado cada vez mais nas questões políticas. A palavra Demagogia incorporou questões de contextos mais recentes e tornou-se comumente utilizada para condenar políticos com suas propostas não cumpridas e suas declarações não postas em prática. Atualmente, no Brasil, a imagem cultural construída em torno do homem político na sociedade gira muito em torno da Demagogia. A descrença do brasileiro com a política é muito grande e é comum de se encontrar declarações que condenem todos os políticos, sem exceção. Quando ouve-se dizer que os políticos buscam por apoio do eleitorado e prometem grandes medidas ou fazem grandes propostas para aumentar a popularidade, mas, na prática, agem apenas em benefício próprio, isso é uma acusação típica de Demagogia.

O demagogo está intimamente relacionado com a política. Ele age calculadamente apelando às emoções do público, estimulando seus preconceitos, seus medos e suas vaidades por meio de retórica e propagandas para conquistar o eleitorado. Geralmente, seus discursos são tomados temas ditos populistas.

Fonte:
http://www.portais.ws/?page=art_det&ida=603

Arquivado em: Política