Professor de Educação Física

Pós-graduação lato sensu em Jornalismo (Faculdade Cásper Líbero, 2014)
Graduação em Educação Física (Complexo Educacional FMU, 2007)

A atividade física caracteriza-se como fundamental na promoção da saúde resultando no aumento de adeptos aos exercícios. Calcula-se 3,5 milhões de praticantes independentes no Brasil e 1,5 milhões de alunos matriculados em academias. Com isso, o número de oportunidades para esses professores é vasto.

Foto: Denis Kuvaev / Shutterstock.com

Foto: Denis Kuvaev / Shutterstock.com

A origem da Educação Física pode-se confirmar desde o descobrimento do Brasil pelos portugueses. Em uma das cartas de Pero Vaz de Caminha, já continha relatos dos índios dançando e exercitando-se guiados pela música. Mais tarde, em 1823 o “Tratado de Educação Física e Moral dos Meninos” elaborado por Joaquim Antônio Serpa, ressaltava o trabalho do corpo e da mente.

As aulas de ginástica chegaram em poucas escolas brasileiras por volta de 1851, através do projeto realizado por Couto Ferraz. Entretanto, Ruiz Barbosa foi quem defendeu no ano de 1882, a obrigatoriedade da Educação Física no currículo escolar para ambos os sexos. Apenas escolas militares e colégios do Rio de Janeiro e capital do país aderiram à nova disciplina.

O professor de Educação Física não precisa obrigatoriamente ser um atleta em todos as modalidades esportivas, mas é preciso conhecer a fundo as habilidades motoras de sua prática de ensino e principalmente os limites dos seus alunos. Saber ensinar e gostar de interagir com pessoas são aspectos fundamentais, já que além da questão física, outros fatores como psicológico e sociocultural estão inseridos na profissão. Uma boa didática de ensino é importante para qualquer docente.

A principal função deste profissional é orientar, planejar e acompanhar a prática de exercícios físicos de um indivíduo ou grupo, que pode ser desde recém-nascidos acompanhados dos responsáveis a terceira idade. São atletas profissionais a pacientes em recuperação motora, o objetivo vai depender do aluno.

Vale lembrar que o Profissional de Educação Física não pode interferir em outras áreas como, prescrever uma dieta alimentar ou tratar uma lesão, isso cabe aos respectivos especialistas nutricionista e fisioterapeuta, o que não impede que trabalhem em conjunto.

O Confef (Conselho Federal de Educação Física), órgão que regulamenta a profissão, foi criado em 08 de novembro 1998 com 18 conselheiros. Atualmente possui os Cref(s) que são unidades regionais. Qualquer profissional formado que deseja atuar na área deverá portar o registro da instituição e renová-lo uma vez por ano.

O professor que decide hoje estudar Educação Física, possui um leque de opções e oportunidades de trabalho. O formando é capacitado a lecionar em escolas, clubes, academias, hotéis, acampamentos, empresas, clínicas e hospitais. Isso dependendo do tipo de formação escolhida na instituição.

Para entendermos melhor os ambientes e áreas de atuação disponíveis no mercado, vamos separar por tipo de graduação:

  • Licenciatura: O professor leciona dentro do ambiente escolar em todos os níveis de ensino: infantil, fundamental e médio. Suas aulas vão de estímulos e coordenação motora aos pequenos, vivência esportiva e melhora das habilidades motoras para as crianças e independência na prática regular de atividade física, entendendo sua importância na qualidade de vida.
  • Bacharel: Já neste setor, as oportunidades são diversificadas. Em sua maioria é necessário um bom planejamento do ensino ou treino de uma modalidade. O profissional pode atuar em academias com aulas de musculação, natação, ginástica, hidroginástica, dança e lutas; Em clubes esportivos, comunitários ou particulares; Propondo recreação para crianças e adultos em hotéis e acampamentos; Com a ginástica laboral proporcionando bem-estar aos funcionários das empresas e indústrias; Reabilitação após tratamento com fisioterapeuta em clínicas e hospitais; Exercícios para terceira idade; Esporte adaptado para pessoas com deficiência; O personal training que acompanha individualmente o aluno e pode cobrar por hora; Assessoria esportiva; entre outros.

Referências Bibliográficas:

http://www.confef.org.br/extra/conteudo/default.asp?id=16

http://www.educacaofisica.com.br/carreiras2/o-profissional-de-educacao-fisica-e-sua-missao/

http://unan.unesp.br/guia/pdf/Guia_de_Profissoes_2016.pdf

http://www.efdeportes.com/efd169/educacao-fisica-no-brasil-da-origem.htm