Descobrimento do Brasil

Graduada em História (UFRJ, 2016)

Sempre aprendemos, desde que iniciamos nossos estudos em História, que o Brasil foi descoberto em 1500 pelo navegador Pedro Álvares Cabral. Temos que ter em mente que este foi apenas uma parte do período conhecido como Expansão Marítima e que há um grande contexto da História que precisa ser reportado para que se possa entender o chamado “Descobrimento do Brasil”.

No início do século XIV, a Europa enfrentou uma profunda crise em todos os setores. A nobreza estava dividida em conflitos e guerras. Houve, nesse mesmo período, a chamada Peste Negra, doença trazida pelos ratos e dizimou metade da população europeia. É nesse contexto que iniciam revoltas camponesas e fome. Os bens disponíveis eram restritos e levavam à conflitos entre camponeses e senhores e à estagnação. Toda essa crise contribuiu para expansão marítima. Alguns livros abordam também a importância de Dom Henrique e sua famosa Escola de Sagres e a localização geográfica que Portugal possui, facilitando as navegações.

No século XV, Portugal se torna um reino unificado e centralizado, menos sujeito a convulsão e disputas, diferente da França, Inglaterra, Espanha. Em torno do rei, se agruparam vários setores influentes como a nobreza e a burguesia, no qual as duas eram favorecidas pela expansão.

Para os comerciantes havia a perspectiva de um bom negócio; para o rei, era a forma de conseguir novas fontes de renda (Mercantilismo); para nobres, servir a Coroa era sinal de recompensa. Para complicar, em 1453, os turcos ocupam a cidade de Constantinopla, fechando o caminho pelo Mar Mediterrâneo para chegar até as Índias. Assim, os portugueses também tinha a necessidade de encontrar uma nova rota para chegar até as Índias. Em 1499, Pedro Álvares Cabral foi enviado às Índias e, no dia 22 de abril de 1500, chegou na região da atual Porto Seguro (Bahia), que recebeu o nome de Ilha de Vera Cruz, pois se pensava que era uma ilha, mudando para Terra de Santa Cruz e, finalmente, Brasil.

Chegada de Pedro Álvares Cabral na região de Porto Seguro (BA). Pintura de Oscar Pereira da Silva, 1904.

Não há ainda uma certeza se o desvio de rota feito por Cabral até as terras brasileiras foram propositais ou não. As evidências apontadas pelos historiadores é que o navegador veio até o Brasil propositalmente, pois há registros de que antes de Cabral já havia vindo outros europeus.

Mesmo com as novas terras, Portugal continua com o comércio nas Índias, pois as especiarias lá encontradas eram bastante lucrativas. Ainda não havia sido achado ouro no Brasil, somente o pau-brasil era explorado, pois sua madeira era muito valiosa e sua tinta era comercializada na Europa. Assim, se deu o escambo, que era a troca entre os nativos e os portugueses: os nativos recebiam dos últimos objetos desconhecidos para eles como espelho, apitos, espadas de ferro e, em troca, os portugueses recebiam o trabalho na extração da madeira e o carregamento até as caravelas, ou seja, mão de obra nativa. Foi somente em 1530 que se iniciou a colonização.

Portanto, se percebe que a origem do Brasil está na Expansão Marítima e na busca por metais preciosos, tendo o apoio, principalmente, da burguesa lusa. Da mesma maneira, os historiadores discordam do termo “descobrimento do Brasil”, ainda muito utilizado e trabalhado nas salas de aula, ao passo que já havia uma população nativa no novo território. Assim, o termo que mais se aproxima da historiografia atual é "chegada dos portugueses ao Brasil".

Referências bibliográficas:

DEL PRIORE, Mary, VENANCIO, Renato. Uma Breve História do Brasil. São Paulo: Editora Planeta do Brasil, 2010.

DORÉ, Andréa. Antes de Existir o Brasil: os portugueses na índia entre estratégias da Coroa e táticas individuais. HISTÓRIA, São Paulo, 28 (1): 2009.

FAUSTO, Boris. História do Brasil. São Paulo: Edusp, 1996.

COSTA, Marcos. A História do Brasil para quem tem pressa. Rio de Janeiro: Valentina, 2016.