Pedro Álvares Cabral

Graduada em História (UFRJ, 2016)

Nada contra ti / Não me leve a mal / Quem descobriu o Brasil / Não foi Cabral / Pedro Álvares Cabral / Chegou 22 de abril / Depois colonizou”*

Essa é a letra de um funk composto pela cantora MC Carol no ano de 2015. Como se percebe, a letra contesta a ideia de “descobrimento” e de que Pedro Álvares Cabral foi o primeiro a chegar ao Brasil. De acordo com o professor José Nazareth Neto Alvernaz, “A letra é interessante porque alguns livros ainda insistem em reproduzir a chegada de Cabral e não problematizam a chegada dos colonizadores. [...] Quando eles chegaram aqui havia de 4 a 6 milhões de indígenas. É uma visão eurocêntrica. Estamos acostumados a trabalhar a visão dos vencedores.

Mas, afinal, quem foi Pedro Álvares Cabral?

É muito difícil abordar sobre o navegador, pois não há praticamente nenhum documento, incluindo imagens, sobre o navegador português. Ele foi um personagem central na história da expansão marítima em Portugal nos séculos XV e XVI. Sabe-se que o explorador nasceu no ano de 1467, em Belmonte, Portugal e faleceu em 1520 na cidade de Santarém, também em Portugal. Para a história oficial, que está sendo revista como foi mostrado anteriormente, foi o primeiro europeu a chegar até onde hoje é a cidade de Porto Seguro, na Bahia. Vindo de uma família de nobres, recebeu vasta educação e com apenas 17 anos, começou a servir na Corte portuguesa.

No início do ano de 1500, o então rei de Portugal, D. Manuel, organizou a maior e mais aparelhada esquadra para fazer uma expedição até as Índias, a fim de estabelecer de fato o domínio comercial no Oriente. E no dia 9 de março, partiu do Rio Tejo, em Lisboa, uma frota com 13 embarcações, dez naus e três caravelas, cujo comandante era justamente Cabral que já tinha experiência nessa época. Junto com Bartolomeu Dias, outro navegador experiente, a tripulação era composta por aproximadamente 1500 homens entre geógrafos, cartógrafos, padres, soldados, intérpretes, comerciantes. Na altura das Ilhas de Cabo Verde, a frota seguiu para oeste, afastando-se da costa africana. Depois de mais de 40 dias de viagem, datado em 21 de abril, se observou sinais de que a terra estava próxima. E no dia seguinte, avistaram o monte que deram o nome de Monte Pascoal, pois estavam na semana da Páscoa. Ancoraram, permaneceram alguns dias, rezaram a primeira missa e seguiram viagem rumo às Índias.

Apesar da importância dele nas Histórias do Brasil e de Portugal, no país europeu ele é pouco lembrado e, muitas vezes, desconhecido, principalmente por jovens. De acordo com pesquisadores, o nome do descobridor fica esquecido diante de outros exploradores como Vasco da Gama. Isso se deve ao fato de não ter tido uma vida tão controversa quanto outros exploradores. “Se Cabral tivesse sido um guerreiro, se tivesse comandado uma armada portuguesa no norte da África ou se tivesse se envolvido em alguma das tantas lutas na corte portuguesa de sua época, ele despertaria um interesse muito maior", afirma o historiador Paulo Jorge de Sousa Pinto. A maior “polêmica” é a discussão pelos historiadores se a chegada ao Brasil foi intencional ou não, abordada no início deste texto e, sendo intencional diminui a importância de Cabral.

Vinte anos após chegar ao Brasil, Cabral faleceu e foi sepultado em Santarém.

Referências Bibliográficas:

BOECKEL, Cristina. Professores analisam funk de MC Carol que contesta a história do Brasil. G1 Rio de Janeiro, 09 de julho de 2015. Link: http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/musica/noticia/2015/07/professores-analisam-funk-de-mc-carol-que-contesta-historia-do-brasil.html

COSTA, Marcos. A História do Brasil para quem tem pressa. Rio de Janeiro: Valentina, 2016.

DEL PRIORE, Mary, VENANCIO, Renato. Uma Breve História do Brasil. São Paulo: Editora Planeta do Brasil, 2010.

FAUSTO, Boris. História do Brasil. São Paulo: Edusp, 1996.

FILHO, Mamede. Por que Pedro Álvares Cabral é pouco lembrado em Portugal? BBC Brasil, 22 de abril de 2016. Link: http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2016/04/160421_pedro_alvares_cabral_mf_rm