Psicologia Clínica

Por Gabriela E. Possolli Vesce
O termo psicologia clínica foi aplicado pela primeira vez em 1896, naquela ocasião dizia respeito a processos diagnósticos empregados na clinica médica, destinados a crianças deficientes físicas e mentais. A demanda por esse processo de diagnose surgiu no contexto em que as doenças mentais passaram a ser consideradas similares às doenças físicas. Nessa fase inicial os trabalhos realizados em clínicas psicológicas não se configuravam como a prática clínica da atualidade, mas eram direcionados para a avaliação e para o tratamento de problemas de comportamento e de aprendizagem de crianças em idade escolar, desse modo, abrangia o campo do que hoje é a psicologia escolar.

Pode-se definir psicologia clinica como sendo uma das subáreas de atuação da psicologia que destina-se a investigar e intervir no âmbito da saúde mental. O psicólogo clínico possui a especificidade de aperfeiçoar aspectos interpessoais e intrapessoais, além dos aspectos relacionados à história de vida do paciente. A ação desse profissional é requerida em situações de crise individual ou grupal, ou quando sucedem perturbações de comportamento ou personalidade.

Em seu trabalho com os pacientes o psicólogo clínico deverá utilizar uma abordagem psicológica para desenvolver suas atividades. Dentre elas podem-se citar as abordagens comportamental, a psicanálise, a gestalt, dentre outras, estando as técnicas e os métodos vinculados a essas abordagens.

Na psicologia clínica pode-se desenvolver atividades de psicoterapia individual ou coletiva, atendendo um público que compreende desde bebês até idosos. Além disso também é possível realizar aconselhamento psicológico, orientação familiar, orientação vocacional e psicodiagnóstico. As atribuições do psicólogo clínico não se limitam à uma perspectiva curativa (aspectos psicopatológicos) mas também relacionam-se a prevenção, redução das situações de risco e a melhoria da qualidade de vida.

A seguir são apresentados mitos e verdades sobre a psicologia clínica:

Mito: Apenas pessoas fracas procuram a psicologia clínica.
Verdade: Não existem pessoas fortes ou fracas, existem formas de lidar com as situações.

Mito: Apenas pessoas com problemas devem procurar um psicólogo.
Verdade: As pessoas também procuram um psicólogo porque querem se conhecer melhor.

Mito: Um tratamento psicológico vai demorar anos para acabar.
Verdade: O tempo de duração de um tratamento varia de acordo com os objetivos almejados. É possível obter excelentes resultados com tratamentos em curto prazo.

Mito: Tratamento psicológico é apenas para ricos.
Verdade: Existem locais que oferecem atendimento psicológico por preço simbólico. Alguns postos de saúde também oferecem serviço de psicoterapia.