Abordagem do Cotidiano para Concentração de Soluções

Licenciatura Plena em Química (Universidade de Cruz Alta, 2004)
Mestrado em Química Inorgânica (Universidade Federal de Santa Maria, 2007)

Temáticas em Química tornam-se mais úteis a partir da “abordagem do cotidiano” tendo em vista a necessidade presente de desenvolver os tópicos da Química vinculados à realidade, na “perspectiva da Teoria da Aprendizagem Significativa” (Moreira, 2006). Esta Teoria destaca que a “significação” se dá quando uma nova informação (conceito, ideia, proposição) “adquire significados” para o aluno/educando na sua “estrutura cognitiva preexistente”, com determinado grau de clareza, estabilidade e diferenciação, através de uma espécie de ancoragem ou subsunçores (NOVAK, 1997).

Dessa forma, deseja-se expor “aspectos técnico-científicos” referentes aos temas propostos, de modo que o aluno/educando desenvolva “competências” (compreensão) para descrever, classificar e interpretar determinadas “variantes em soluções”. Assim, sugere-se nesse texto uma situação problema como introdução aos conceitos de concentração de soluções.

SITUAÇÃO PROBLEMA:

Soro caseiro, solução contendo 0,35g de cloreto de sódio (sal de cozinha) e 2g de sacarose (açúcar) por 100mL de água, indicado para reidratação.

Uma solução é uma mistura homogênea entre soluto e solvente. De acordo com Russell (1994), as propriedades de uma mistura são uma combinação de propriedades individuais de seus componentes, já para Humiston & Brady (2002), tal combinação das substâncias presentes na mistura tem efeitos marcantes, conforme as variações das propriedades físicas e químicas das mesmas.

Uma solução pode ser classificada quanto ao estado físico (sólidas, líquidas e gasosa), quanto à natureza das partículas dispersas (iônicas e moleculares) e quanto à proporção entre soluto e solvente (insaturada - diluída ou concentrada - saturada - com ou sem corpo de fundo - e supersaturada.

CONCENTRAÇÕES: comum, molar e título.

Concentração Comum

a) Definição: Quociente entre massa de soluto (em gramas) e volume de solvente (em litros).

b) Equação:

c) Sugere-se o cálculo da concentração comum de cloreto de sódio e de sacarose no soro caseiro de acordo com a equação apresentada acima.

Concentração Molar

a) Definição: Quociente entre número de mols de soluto (em mols) e volume de solvente (em litros).

b) Equação:

c) Sugere-se o cálculo da concentração molar de cloreto de sódio e de sacarose no soro caseiro de acordo com a equação apresentada acima.

Concentração em Título

a) Definição: Quociente entre a massa de soluto (em gramas) e a massa de solução (em gramas).

b) Equação:

c) Sugere-se o cálculo do título do cloreto de sódio e de sacarose no soro caseiro de acordo com a equação apresentada acima.

Como fora apresentado, um assunto do cotidiano do educando, como o soro caseiro, pode satisfatoriamente introduzir um conceito em Química, tornando a aula mais significativa a este educando.

Referências:
HUMISTON, Gerard E. & BRADY, James E. Química Geral, Ed. LTC, Rio de Janeiro/RJ – 2002.
MOREIRA, M.A. A Teoria da Aprendizagem Significativa e sua Implementação em Sala de Aula. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2006.
NOVAK, J.D. Teoría y Práctica de La Educación. Madri: Alianza Editorial,1997.
RUSSELL, John B.; Química Geral vol.1, São Paulo: Pearson Education do Brasil, Makron Books, 1994.

Arquivado em: Química