Abordagem do Cotidiano para Concentração de Soluções

Licenciatura Plena em Química (Universidade de Cruz Alta, 2004)
Mestrado em Química Inorgânica (Universidade Federal de Santa Maria, 2007)

Sempre abrir.

Temáticas em Química tornam-se mais úteis a partir da “abordagem do cotidiano” tendo em vista a necessidade presente de desenvolver os tópicos da Química vinculados à realidade, na “perspectiva da Teoria da Aprendizagem Significativa” (Moreira, 2006). Esta Teoria destaca que a “significação” se dá quando uma nova informação (conceito, ideia, proposição) “adquire significados” para o aluno/educando na sua “estrutura cognitiva preexistente”, com determinado grau de clareza, estabilidade e diferenciação, através de uma espécie de ancoragem ou subsunçores (NOVAK, 1997).

Dessa forma, deseja-se expor “aspectos técnico-científicos” referentes aos temas propostos, de modo que o aluno/educando desenvolva “competências” (compreensão) para descrever, classificar e interpretar determinadas “variantes em soluções”. Assim, sugere-se nesse texto uma situação problema como introdução aos conceitos de concentração de soluções.

SITUAÇÃO PROBLEMA:

Soro caseiro, solução contendo 0,35g de cloreto de sódio (sal de cozinha) e 2g de sacarose (açúcar) por 100mL de água, indicado para reidratação.

Uma solução é uma mistura homogênea entre soluto e solvente. De acordo com Russell (1994), as propriedades de uma mistura são uma combinação de propriedades individuais de seus componentes, já para Humiston & Brady (2002), tal combinação das substâncias presentes na mistura tem efeitos marcantes, conforme as variações das propriedades físicas e químicas das mesmas.

Uma solução pode ser classificada quanto ao estado físico (sólidas, líquidas e gasosa), quanto à natureza das partículas dispersas (iônicas e moleculares) e quanto à proporção entre soluto e solvente (insaturada - diluída ou concentrada - saturada - com ou sem corpo de fundo - e supersaturada.

CONCENTRAÇÕES: comum, molar e título.

Concentração Comum

a) Definição: Quociente entre massa de soluto (em gramas) e volume de solvente (em litros).

b) Equação:

c) Sugere-se o cálculo da concentração comum de cloreto de sódio e de sacarose no soro caseiro de acordo com a equação apresentada acima.

Concentração Molar

a) Definição: Quociente entre número de mols de soluto (em mols) e volume de solvente (em litros).

b) Equação:

c) Sugere-se o cálculo da concentração molar de cloreto de sódio e de sacarose no soro caseiro de acordo com a equação apresentada acima.

Concentração em Título

a) Definição: Quociente entre a massa de soluto (em gramas) e a massa de solução (em gramas).

b) Equação:

c) Sugere-se o cálculo do título do cloreto de sódio e de sacarose no soro caseiro de acordo com a equação apresentada acima.

Como fora apresentado, um assunto do cotidiano do educando, como o soro caseiro, pode satisfatoriamente introduzir um conceito em Química, tornando a aula mais significativa a este educando.

Referências:
HUMISTON, Gerard E. & BRADY, James E. Química Geral, Ed. LTC, Rio de Janeiro/RJ – 2002.
MOREIRA, M.A. A Teoria da Aprendizagem Significativa e sua Implementação em Sala de Aula. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2006.
NOVAK, J.D. Teoría y Práctica de La Educación. Madri: Alianza Editorial,1997.
RUSSELL, John B.; Química Geral vol.1, São Paulo: Pearson Education do Brasil, Makron Books, 1994.

Arquivado em: Química