Lei Periódica: As Tríades de Dobereiner

Licenciatura Plena em Química (Universidade de Cruz Alta, 2004)
Mestrado em Química Inorgânica (Universidade Federal de Santa Maria, 2007)

Um grande número de elementos e compostos com semelhanças e em suas propriedades, destacando-se aquelas de natureza experimental, foram descobertos no princípio do século XIX. Este fato despertou a atenção dos químicos da época, e desde que passaram a ser conhecidas as massas atômicas de diversos elementos, nada mais natural seria do que observar as relações existentes entre suas massas atômicas e suas propriedades laboratorialmente. Ao longo dos anos, com um grande número de informações adquiridas, tornou-se evidente que o comportamento químico era influenciado pela massa atômica, além de que as semelhanças nas propriedades dos elementos eram de fato reais. Esta constatação conduziu então ao estabelecimento de uma poderosa generalização relacionada às propriedades dos elementos: a lei periódica.

Os químicos são responsáveis pela evolução do conceito de periodicidade química desde os primórdios. Entretanto, “o alemão German Lothar Meyer e o russo Dimitri Ivanovich Mendeleev fizeram mais do que quaisquer outros, posicionando-a sobre um firme fundamento experimental1. A Tabela Periódica dos Elementos é hoje um dos conceitos mais importantes e difundidos da química. Seu desenvolvimento é exemplo do resultado do esforço e da perspicácia de vários cientistas em um período de muitos anos.

No início de século XIX, valores aproximados para as massas dos elementos químicos, denominadas massas atômicas, já haviam sido estabelecidos.

Em 1824, o químico alemão Johann Dobereiner, ao analisar os elementos químicos cálcio (Ca), estrôncio (Sr) e bário (Ba), percebeu uma relação simples entre suas massas atômicas: a massa do átomo de estrôncio apresentava um valor bastante próximo da média das massas dos outros dois elementos. A esta observação deu o nome de Tríades de Elementos Químicos.

O trabalho de Dobereiner não causou muita impressão entre os químicos da época, e suas observações passaram praticamente despercebidas. Seu mérito foi ter sido o primeiro a mostrar aparentemente o que acreditava serem relações entre os elementos químicos, constituindo talvez o primeiro esboço de uma Tabela Periódica.

Constituem alguns exemplos de tríades os seguintes grupos de elementos (cloro, bromo e iodo) e (enxofre, selênio e telúrio), com suas massas atômicas da época, os quais são mostrados na tabela abaixo:

cloro
bromo
iodo
35,5
80
127
lítio
sódio
potássio
7
23
39
enxofre
selênio
telúrio
32
79
128
cálcio
estrôncio
bário
40
88
137

Pode-se observar em cada uma das tríades de Dobereiner que os elementos químicos centrais, o bromo na primeira e o selênio na segunda, apresentam massa atômica que se aproxima do valor médio daquela dos elementos que o antecedem e que o sucedem, o que deveria conferir a todo o grupo semelhanças em suas propriedades experimentais.

Referências:
1. ATKINS, Peter; JONES, Loreta; Princípios de Química: questionando a vida moderna e o meio ambiente, Porto Alegre: Bookman, 2001.
MAHAN, Bruce M.; MYERS, Rollie J.; Química: um curso universitário, Ed. Edgard Blucher LTDA, São Paulo/SP – 2002.
RUSSELL, John B.; Química Geral vol.2, São Paulo: Pearson Education do Brasil, Makron Books, 1994.

Arquivado em: Química