Preparação de Indicador Ácido-Base com Folhas de Hibisco

Licenciatura Plena em Química (Universidade de Cruz Alta, 2004)
Mestrado em Química Inorgânica (Universidade Federal de Santa Maria, 2007)

Várias substâncias encontradas em nosso dia-a-dia possuem a propriedade de apresentar uma coloração A em meio ácido e uma coloração B em meio básico,     podendo ser utilizadas como indicadores naturais de substâncias ácidas ou básicas. Uma delas são as folhas de hibisco, onde encontramos a substância antiocinidina com tal característica.

Um importante indicador natural é obtido a partir das folhas de hibisco. O hibisco, ou ninho de Vênus, é uma espécie botânica arbustiva, originária da Ásia e do Havaí, pertence à família das malvas. As substâncias responsáveis pela coloração destes tecidos vegetais são as antocianinas, pigmentos da classe dos flavanóides, encontrados nas flores vermelhas, azuis e púrpuras.

O experimento abaixo permite observar o efeito de materiais ácidos e básicos sobre a coloração do extrato de hibisco. Esta experiência pode ser feita por grupos de alunos com material alternativo, sendo que cada grupo irá utilizar os seguintes materiais:

  • conta-gotas limpos,
  • copo grande de vidro,
  • copos descartáveis de café,
  • etiquetas adesivas e canetas,
  • materiais para teste,
  • folhas de hibisco.

Para preparação do indicador, as folhas de hibisco devem ser colocadas em fervura na água em ebulição por alguns minutos. Deixa-se esfriar completamente. Após, transfere-se apenas o líquido vermelho para um copo grande, descartando-se as folhas.

As amostras padronizadas poderão ser um ácido inorgânico, como o ácido clorídrico, e a base hidróxido de sódio, ambos de concentração 1 molar. Então, sobre 5 ml destas soluções, recolhidas em frascos separados, adiciona-se algumas gotas do indicador preparado e observa-se a coloração adquirida pela mesma, as quais servirão como referência para o caráter ácido-básico de outras soluções.

Na obtenção dos materiais para teste, separa-se os copos descartáveis e em cada um adiciona-se um dos materiais da lista a seguir:

  • 5ml de leite natural,
  • 5ml de suco de limão,
  • 5ml de suco de laranja comum,
  • 5ml de suco de laranja do céu,
  • 5ml de refrigerante do tipo cola,
  • 5ml de perfume,
  • 5ml de detergente verde limão.

A seguir, adiciona-se em cada copo algumas gotas do indicador preparado, anotando-se os resultados obtidos. Comparando-os com os resultados padrões, pode-se, com grande precisão, identificar cada uma das substâncias quanto a seu caráter ácido ou básico, e com relativa precisão, quanto sua força de acidez ou basicidade.

Essa técnica pode ser utilizada, mesmo em sala de aula, tanto do Ensino Fundamental como no Ensino Médio, e pode também contribuir para o interesse dos estudantes em relação à disciplina de química, motivando-os a interagir entre si e atuando como um facilitador de sua compreensão.

Referências:
BARBOSA, Addson Lourenço; Dicionário de Química, AB Editora, Goiânia,GO – 2000.
OHLWEILER, Otto Alcides; Química Analítica Quantitativa, Livros Técnicos e Científicos Editora S.A., Rio de Janeiro,RJ – 1996.
PERUZZO, Francisco Miraguaia (Tito); CANTO, Eduardo Leite; Química: na abordagem do cotidiano, Ed. Moderna, São Paulo,SP – 2002.

Arquivado em: Química