Proposta de atividade experimental em curso técnico em química com ênfase na tabulação de dados

Licenciatura Plena em Química (Universidade de Cruz Alta, 2004)
Mestrado em Química Inorgânica (Universidade Federal de Santa Maria, 2007)

Fora proposto para a Segunda Etapa do Curso Técnico em Química do Instituto Estadual de Educação Professor Annes Dias, do município de Cruz Alta, uma atividade experimental, realizada em Laboratório de Química, que consistira na determinação da densidade de metais elementares no estado sólido a partir da medição direta de sua massa, por meio de balança analítica, e indireta de seu volume, por meio do deslocamento de volume aquoso quando fragmento(s) de metal é(são) introduzido(s) em recipiente contendo água. Para tanto, os alunos foram dispostos em três grupos, e receberam orientação para utilizar três porções distintas de cada metal, sendo utilizados na experimentação: ferro (Fe), cobre (Cu), zinco (Zn), estanho (Sn), alumínio (Al) e chumbo (Pb), disponíveis em pequenos fragmentos de diversos formados.

Como objetivos principais desta técnica estiveram (1) a determinação da densidade absoluta de metais elementares no estado sólido, (2) a relação entre os resultados encontrados com aqueles mostrados em Tabela Periódica e (3) as diferentes possibilidades de tabulação dos dados encontrados. No presente artigo, apenas o terceiro dos objetivos mencionados será explorado. Também não serão discutidos a eficácia das técnicas empregadas para a determinação das densidades metálicas e tão pouco a precisão dos resultados obtidos, ou suas discrepâncias com os teóricos. Novamente salienta-se que neste artigo busca a proposição de um comparativo entre as diferentes tabulações de dados empregadas por cada um dos três grupos de alunos.

Os resultados apresentados pelo primeiro grupo podem ser vistos na Tabela 1, sendo esta elaborada a partir da tabulação de dados realizada pelos próprios alunos. Nesta primeira tabela obtida, percebe-se que o grupo de trabalho optou par uma tabulação de dados simplificada e concisa, na qual lista os valores obtidos para cada metal em colunas, e não estabelece graus de importância entre eles.

Tabela 1. Tabulação de dados, primeiro grupo.

Tabela 1. Tabulação de dados, primeiro grupo.

Os resultados apresentados pelo segundo grupo podem ser vistos na Tabela 2, sendo esta, assim como a primeira, tendo sido elaborada a partir da tabulação de dados realizada pelos próprios alunos.

Tabela 2. Tabulação de dados, segundo grupo.

Tabela 2. Tabulação de dados, segundo grupo.

Nesta segunda tabela obtida, percebe-se que o grupo de trabalho optou par uma tabulação de dados mais uma vez simplificada e concisa, mas trouxe uma listagem de valores obtidos para cada metal em linhas, diferentemente da primeira, e esta também não estabeleceu graus de importância nem qualquer destaque entre os dados apresentados.

Os resultados apresentados pelo terceiro grupo podem ser visualizados na Tabela 3, tendo sido esta, assim como as anteriores, elaborada a partir da tabulação de dados realizada pelos próprios estudantes.

Tabela 3. Tabulação de dados, terceiro grupo.

Tabela 3. Tabulação de dados, terceiro grupo.

Nesta terceira tabela obtida, percebe-se que o grupo de trabalho optou par uma tabulação de dados um pouco mais elaborada, e destacou pontos principais a serem considerados, os quais estavam diretamente relacionados aos objetivos da técnica. Também destaca-se a ausência de legenda em relação às anteriores, sendo que a própria tabela discrimina a natureza dos valores obtidos.

Referências:
ARRUDA, S.M.; LABURU, C.E. Considerações sobre a função de experimento no ensino   de  Ciências.   In:  NARDI,   Roberto   (Org.).  Considerações   atuais  no ensino de Ciências. São Paulo: Editora Escrituras, 1998.

Arquivado em: Química