União Internacional de Química Pura e Aplicada (IUPAC)

Licenciatura Plena em Química (Universidade de Cruz Alta, 2004)
Mestrado em Química Inorgânica (Universidade Federal de Santa Maria, 2007)

Em português significa União Internacional de Química Pura e Aplicada, a IUPAC, trata-se de uma organização não governamental internacional que se dedica ao avanço de Química, regulamentando e normatizando esta ciência. Esta ONG internacional foi criada em Genebra, no ano de 1919.

A IUPAC possui como membros todas as sociedades nacionais de Química, e é a autoridade reconhecida quanto ao desenvolvimento dos padrões utilizados por esta ciência, no que se refere à denominação dos compostos químicos, mediante ainda ao seu Comitê Interdivisional de Nomenclatura e Símbolos.

A nomenclatura, conhecida por nomenclatura IUPAC, trata-se de um sistema para nomeação de todos os compostos químicos, de modo universal, ou seja, com validade em todos os países do mundo. É desenvolvida e mantida pela IUPAC. O conjunto de regras para se nomear um composto de natureza orgânica ou inorgânica estão contidas em duas publicações, as quais são conhecidas como Livro Azul e Livro Vermelho, respectivamente. Já o conjunto de recomendações para a utilização dos símbolos químicos está em uma terceira publicação, conhecida como o Livro Verde, enquanto que os termos técnicos utilizados na Química encontram-se em uma quarta publicação, conhecida como o Livro Dourado.

O objetivo mais primordial do conjunto de regras existente na Química, no que se refere à sua nomenclatura, é garantir que se possa correlacionar, sem hesitação, um nome de composto à sua fórmula e estrutura química, e sem ambiguidades. Hoje é considerada de menor importância a existência de uma nomenclatura única para um composto, embora o número aceitável de nomes distintos seja limitado.

É também preferível que a nomenclatura do composto traga informações de sua estrutura química, como prefixos ou sufixos que indiquem, por exemplo, a função à qual pertencem alguns compostos de natureza orgânica. Mas a forma de nomenclatura a ser utilizada na Química depende sempre do público alvo, e pode-se afirmar que não há uma única forma de nomenclatura correta, mas tão somente formas diferentes de nomenclatura que são mais apropriadas para determinadas circunstâncias.

Uma nomenclatura trivial será muitas vezes suficiente para identificar um composto em um conjunto particular de circunstâncias. Para citar um exemplo, o NaCl é denominado cloreto de sódio, nomenclatura indicada pela IUPAC, que traz a natureza do cátion (sódio) e do ânion (cloreto), este sempre no início. Entretanto, nomes corriqueiros, como sal de cozinha, são também muito empregados, e merecem valor. No caso das funções orgânicas, é comum que o grupo mais importante dentro de determinada função receba de “apelido” a nomenclatura própria da função. Por exemplo, o etanol é o álcool mais corriqueiro dentre todos os alcoóis, sendo então “apelidado” apenas de álcool, e não sendo popularmente conhecido conforme a regra da IUPAC.

Referências:
http://www.iupac.org/
MAHAN, Bruce M.; MYERS, Rollie J.; Química: um curso universitário, Ed. Edgard Blucher LTDA, São Paulo/SP – 2002.
RUSSELL, John B.; Química Geral vol.2, São Paulo: Pearson Education do Brasil, Makron Books, 1994.

Arquivado em: Química