Pirólise

Por Adriano Leal
Pirólise é o processo onde a matéria orgânica é decomposta após ser submetida a condições de altas temperaturas e ambiente desprovido de oxigênio. Apesar de sua definição esclarecer a necessidade da inexistência de oxigênio, vários processos ocorrem com uma pequena quantidade dele.

O processo é endotérmico, logo é necessário que exista bastante fornecimento externo de calor para acontecer o êxito da reação.

Reator Pirolítico

No reator pirólitico, a matéria orgânica passa por uma série de etapas. A primeira é denominada de zona de secagem, onde a temperatura varia entre 100ºC e 150ºC. Logo após segue para a zona de pirólise, onde ocorrem importantes reações químicas como a fusão, volatilização e oxidação. Nessa etapa já são retirados vários subprodutos, como álcoois e alcatrão. Em seguida o processo é finalizado na zona de resfriamento, onde são coletados produtos como o bio-óleo. Vale salientar a existência de diversos tipos de reatores, com variadas tecnologias. Abaixo veja o funcionamento básico de um deles:

pirólise

Ilustração: Adriano Leal

Aplicações da Pirólise

Uma aplicação bastante comum é a carbonização da madeira. Seu propósito é a produção de carvão vegetal, item essencial para o fornecimento de energia em diversas indústrias. Com o decorrer dos anos, é notória a evolução de técnicas e equipamentos de pirólise, possuindo rendimentos cada vez mais satisfatórios. Com o aumento do uso de biomassa como combustível, passou a ser crescente o investimento em pesquisas para produção do bio-óleo, onde também é fundamental o uso da pirólise.

Diversos estudos apontam a pirólise como um dos meios mais eficientes para o tratamento do lixo. Em 1970, W. Sanner concluiu que através dela pode ser extrair diversos subprodutos do lixo. Em uma tonelada é possível extrair cerca de onze quilos de sulfato de amônia, 12 litros de alcatrão, 9,5 litros de óleo, entre outros. Constitui-se em uma opção ecologicamente correta, além de possibilitar uma diminuição considerável do número de aterros sanitários.

Um exemplo caseiro do uso da pirólise é o cozimento de alimentos em ambientes secos. Como o ato de assar o pão, os componentes do alimento que passam por esse processo são os carboidratos e proteínas, para ocorrer a pirólise de gorduras é necessária uma temperatura muito mais alta. O cozimento é realizado com presença do ar, porém as condições ambientais permitem a ocorrência de pouca ou nenhuma combustão.

No Brasil, a Petrobrás utiliza a pirólise em uma usina de reprocessamento de xisto e pneus. Tem como principal finalidade a produção de óleo e gases utilizados como combustíveis. Os pneus são triturados e levados ao reator juntamente com o xisto. Logo após é feito o processo de pirólise, resultando em alguns subprodutos, como o óleo e o gás.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
http://www.ufrnet.br/biocombustivel/biocarvao.html (Acesso em: 18 de Janeiro de 2010.)
http://www.mourapneus.com.br/sobrepneus.html (Acesso em: 18 de Janeiro de 2010.)
http://www.furnas.com.br/arqtrab/ddppg/revistaonline/linhadireta/RF365_energia.pdf (Acesso em: 18 de Janeiro de 2010.)
http://www.ambientebrasil.com.br/composer.php3?base=./energia/index.html&conteudo=./energia/artigos/pirolise.html (Acesso em: 18 de Janeiro de 2010.)
http://web0.cefetcampos.br/observatorioambiental/publicacoes-cientificas/artigos-sobre-biocombustiveis-energia-renovaveis-e-indicadores-ambientais/pirolise.pdf (Acesso em: 18 de Janeiro de 2010.)
http://en.wikipedia.org/wiki/Pyrolysis (Acesso em: 19 de Janeiro de 2010.)