Granulopoiese

Por Débora Carvalho Meldau
A granulopoiese ou granulocitopoiese consiste na produção de células sanguíneas brancas que formam os granulócitos que, em circunstâncias normais, praticamente não é um componente ativo da hematopoese como é a eritropoese.

Os granulócitos são células oriundas de células-tronco mielóides multipotentes que dão origem a células-tronco unipotentes e bipotentes. A unidade formadora de colônia eosinofílica e a unidade formadora de colônia basofílica derivam-se das células-tronco unipotentes. Já as células-tronco bipotentes dão origem aos neutrófilos e monócitos. Especificamente, as células-tronco bipolares dão origem às unidades formadoras de colônias granulocíticas e monocíticas, as quais irão originar neutrófilos e monócitos, respectivamente. O padrão de proliferação e desenvolvimento de cada uma das linhagens de células-tronco citadas anteriormente é similar.

Os mieloblastos constituem os primeiros precursores celulares formados pelas células-tronco unipotentes; contudo, a diferenciação entre essas células não é possível. Existe a possibilidade de que, na realidade, o mieloblasto compreenda uma célula-tronco multipotente que desfrute da capacidade de originar todos os tipos de granulócitos. Uma grande parte do protoplasma (parte viva da célula) do mieloblasto está preenchida por um núcleo arredondado proeminente, sendo assim, esta célula não é bem diferenciada do proeritroblasto (precursor imediato do eritroblasto) quanto à sua morfologia. Todavia, seu citoplasma cora em azul mais claro que o do proeritroblato, fato este que o diferencia do mieloblasto quando observado ao microscópio.

Os mieloblastos multiplicam-se e se transformam em promielócitos, que apresentam maior quantidade de citoplasma. Estes, por sua vez, se dividem e se transformam em mielócitos.

Fontes:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Granulocitopoese
Tratado de Histologia Veterinária – Samuelson, Don A., 2007.