Dispareunia

O termo dispareunia, de acordo com a terminologia médica, define a dor durante o ato sexual, que acomete ambos os sexos, sendo, contudo, mais comum em indivíduos do sexo feminino.

Esta condição é uma das causas mais comuns de problemas nas relações sexuais e pode variar desde um leve desconforto, até uma dor aguda que ocasiona sofrimento e dificuldades de relacionamento do casal.

Aparentemente, a prevalência da dispareunia vem crescendo ao longo do tempo e isso pode ser decorrente de mudanças ocorridas no comportamento sexual e ao aumento das doenças sexualmente transmissíveis (DSTs).

Consiste em uma dor persistente ou recorrente que pode ser classificada de acordo com a sua localização em:

  • Superficial: dor localizada na entrada da vagina, na abertura do canal uretral ou no clitóris.
  • Profunda: quando se traduz em uma dor pélvica.

As causas desta condição são diversas. Dentre elas estão:

  • Infecções da vulva e da vagina, como, por exemplo, candidíase, tricomoníase e herpes genital;
  • Tumores genitais e pélvicos;
  • Atrofia ou lubrificação insuficiente da vagina, que podem ser decorrentes de deficiências de hormônios estrogênicos;
  • Reações alérgicas na entrada da vagina, como, por exemplo, alergia ao látex de preservativos ou a certos lubrificantes vaginais;
  • Processos inflamatórios ou infecções na região pélvica;
  • Cistos ovarianos;
  • Infecções urinárias;
  • Uretrites e cistites;
  • DSTs;
  • Problemas mucocutâneos da genitália, que podem surgir após um procedimento cirúrgico, pós-parto ou pós-radioterapia;
  • Causas físicas, como é o caso do estreitamento do canal vaginal, vagina curta em relação ao tamanho do pênis do parceiro, presença de corpo estranho na vagina e traumas nos órgãos sexuais.

Comumente, a causa física da dispareunia consiste na dor durante as primeiras relações sexuais do casal, resultante da natural falta de adequação física dos mesmos, desaparecendo em aproximadamente 95% dos casos. Nos 5% restantes são decorrentes de problemas psicológicos, presença de determinadas doenças ou do chamado hímen complacente.

Em consequência da ampla gama de causas, o diagnóstico é baseado no histórico clínico e exame físico, associados com exames laboratoriais e de imagem, como ultra-sonografia.

O tratamento da dispareunia vai variar de acordo com a causa da mesma, sendo que em certos casos não é necessário que haja intervenção médica, como no caso do surgimento de dor durante as relações sexuais pós-parto. Neste caso, deve-se esperar, pelo menos, 6 semanas após o parto para voltar a ter relações. Em casos de falta de lubrificação vaginal, pode-se tentar utilizar um lubrificante à base de água. Quando o problema for psicológico, terapia sexual pode ser válida. Em outros casos, pode ser necessário o uso de fármacos ou até mesmo realização de cirurgia, sendo que o profissional da saúde habilitado é quem deve indicar qual a melhor alternativa.

Fontes:
http://www.boasaude.com.br/artigos-de-saude/4782/-1/dispareunia-x-dor-durante-o-ato-sexual.html
http://pt.wikipedia.org/wiki/Dispareunia
http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?136
http://www.medsaude.com/dispareunia-dor-durante-sexo.html

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Saúde