Intoxicação por Manganês

O manganês consiste em um dos elementos mais abundantes na crosta terrestre, estando amplamente distribuído em solos, sedimentos, rochas, água e materiais biológicos. Este elemento é altamente importante para as funções vitais dos animais superiores, bem como para o crescimento das plantas. Além disso, possui significativas aplicações industriais.

A intoxicação pelo manganês, também chamada de manganismo, habitualmente resulta de uma exposição ocupacional, sendo que o trato respiratório representa a principal porta de entrada. No entanto, este elemento também pode ser absorvido pelo trato intestinal quando presente na alimentação.

O manganês é muito utilizado na produção de ferro e aço. Trata-se de um componente-chave na produção de ligas de alumínio e aço inoxidável, de custo reduzido. Além disso, o manganês também é usado para descolorir o vidro, bem como produzir vidro de cor violeta. Também está presente em desinfetantes, fertilizantes e cerâmica.

Este elemento, que é essencial para os seres humanos, está presente naturalmente em certos alimentos, porém, em diminutas quantidades. Todavia, quando elevadas doses adentram o organismo, podem ocorrer efeitos tóxicos de diferentes intensidades, sendo que o mais grave é quando afeta o Sistema Nervoso Central (SNC).

Os sintomas da intoxicação por manganês são mais observados no trato respiratório e no SNC. Dentre as manifestações clínicas estão problemas de memória, alucinações, doença de Parkinson, embolia pulmonar e bronquite. Em casos de exposições prolongadas, os homens podem apresentar impotência sexual. Outros sintomas incluem: apatia, esquizofrenia, fraqueza muscular, cefaléia e insônia.

O diagnóstico da intoxicação por manganês é feito com base no quadro clínico, juntamente com uma investigação ocupacional.

Além de afastar as fontes de contaminação, atualmente, tem-se feito o tratamento da intoxicação por manganês com a levodopa e quelação com EDTA. O primeiro reabastece o déficit de dopamina, uma vez que há depleção desse neurotransmissor nos núcleos cerebrais, levando inicialmente à melhora dos sintomas; todavia, a resposta ao tratamento reduz drasticamente dentro de 2 a 3 anos após o início do mesmo. Já a quelação leva a uma redução da concentração sanguínea de manganês, porém os sintomas permanecem quase que inalterados, fato que levanta discussão sobre a eficácia dessa forma de tratamento.

Fontes:
http://www.medicinapratica.com.br/2010/04/04/saude-medicina-pratica/intoxicacao-pelo-manganes/
http://www.fleury.com.br/Medicos/SaudeEmDia/RevistaMedicinaESaude/pages/99manganesemaisummetalquepodeserdosadoemsangue.aspx
http://en.wikipedia.org/wiki/Manganism
http://www.lenntech.com/periodic/elements/mn.htm

AVISO LEGAL: As informações disponibilizadas nesta página devem apenas ser utilizadas para fins informacionais, não podendo, jamais, serem utilizadas em substituição a um diagnóstico médico por um profissional habilitado. Os autores deste site se eximem de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas.
Arquivado em: Saúde