Batalha da Normandia

Mestre em História (UDESC, 2015)
Pós-graduada em Direitos Humanos (Universidade de Coimbra, 2012)
Graduada em História (UDESC, 2010)

A Batalha da Normandia foi de grande importância para as Forças Aliadas, marcando o início da vitória sobre os nazistas. Oficialmente chamada de Operação Overlord, teve início com o desembarque dos Aliados nas praias da região da Normandia, na França, em 6 de junho de 1944, evento que ficou conhecido como “Dia D”. Nesse dia, mais de 1 milhão de soldados entraram no território francês ocupado pelos nazistas em um ataque anfíbio, isto é, utilizando tanto bombardeios navais quanto aéreos, além de paraquedistas.

Soldados americanos desembarcam em uma praia na região da Normandia, França, na manhã de 06/06/1944.

Soldados americanos desembarcam em uma praia na região da Normandia, França, na manhã de 06/06/1944. Foto: USCG / via Wikimedia Commons / Domínio público.

Um dos elementos que contribuiu para a vitória dos Aliados foi o fator surpresa que a operação conseguiu manter até o fim. Os alemães conheciam a intenção inimiga de entrar na França pelo litoral, a partir do Canal da Mancha. No entanto, o serviço de espionagem nazista foi enganado quanto ao local em que se daria o desembarque. Prepararam-se para lutar em Pas-de-Calais, mas os Aliados, sob o comando do general estadunidense Dwight D. Eisenhower, tinham como destino Caen, a mais de 300 km de distância.

Além dos Estados Unidos e da Grã-Bretanha, doze países Aliados enviaram unidades que participaram da invasão, dentre eles Austrália, Canadá, Bélgica, França, Grécia, Nova Zelândia e Noruega. A operação era complexa, pois não só era necessário atravessar os 160 km do Canal da Mancha que separavam a Inglaterra da França, algo que desde o século XVII não era feito por um exército invasor, mas cruzar a chamada Muralha do Atlântico, isto é, um conjunto de fortificações construído pelos alemães entre 1942 e 1944 que abrangia também a parte francesa do Canal da Mancha.

Os Aliados contaram com uma esquadra de 5.000 navios, que transportavam tanto homens quanto veículos, e 4.000 embarações de desembarque. Por ar, 11.000 aeronaves foram utilizadas, tanto para bombardeios quanto para transportar paraquedistas. Ao fim daquele dia 6 de junho, mais de 9.000 soldados aliados estavam mortos ou feridos, mas outros 100.000 haviam tomado a região costeira. Em apenas 5 dias, os soldados em território francês já eram mais de 320.000.

Um dos fatores que possibilitou o sucesso da Batalha da Normandia foi o serviço de inteligência dos Aliados, capaz de decifrar mensagens consideradas extremamente seguras, codificadas pela Enigma. Mal sabiam os nazistas que muitas dessas informações chegavam às mãos do general Eisenhower em menos de 3 horas.

Os números são proporcionais à magnitude da operação: cerca de 425.000 soldados aliados e alemães foram mortos, feridos ou desapareceram durante a batalha. Cerca de 200.000 homens foram capturados e feitos prisioneiros pelos Aliados, que abasteceram os campos de prisioneiros a uma taxa de 30.000 homens por mês do Dia D até o Natal de 1944. Estima-se que entre 15.000 e 20.000 civis franceses tenham sido mortos durante a Batalha. Em julho de 1944, cerca de um milhão de soldados aliados, principalmente estadunidenses, britânicos e canadenses, estavam entrincheirados na Normandia.

A ocupação da Normandia foi crucial para os Países Aliados. A derrota nazista, que já havia começado no leste em 2 de fevereiro de 1943 com a vitória soviética na Batalha de Stalingrado, aproximava-se também no fronte ocidental.

Referências bibliográficas:

http://www.historylearningsite.co.uk/world-war-two/world-war-two-in-western-europe/the-normandy-campaign/the-battle-of-normandy/

http://www.u-s-history.com/pages/h1749.html