Arteríola

Por Débora Carvalho Meldau
As arteríolas consistem em ramificações arteriais que apresentam diâmetro inferior a 0,1mm, sendo que a constituição em parede tripla observada nas artérias elásticas e musculares é altamente reduzida nas arteríolas. Estas estruturas atuam regulando, em especial, a resistência ao fluxo sanguíneo e, consequentemente, a pressão sanguínea periférica.

A túnica íntima continua a ser formada por uma lâmina endotelial, encontrada revestindo o lúmen desta estrutura, bem como uma lâmina basal por baixo, uma diminuta quantidade de colágeno e de fibras elásticas (camada subendotelial), que somem ao passo que as arteríolas confluem com os capilares, e uma lâmina elástica interna.

A túnica média pode apresentar várias camadas de células musculares lisas rodeadas por sua respectiva lâmina basal, colágeno e fibras de elastina. Nas arteríolas de menor calibre, as células musculares lisas constituem uma camada única, que, assim como nas artérias, organiza-se de forma concêntrica e que se encontra em contato direto com a túnica externa. A lâmina elástica externa, observada nas artérias elásticas e musculares, não é encontrada nas arteríolas.

À medida que as arteríolas fundem-se aos capilares, a musculatura lisa pode repartir-se em pequenos feixes ou simplesmente ficar individualmente isolada. Estes vasos recebem o nome de metarteríolas, e a musculatura destes vasos podem desempenhar o papel de um esfíncter pré-capilar, que ajuda na regulação do fluxo sanguíneo. Além disso, as metarteríolas podem conectar-se diretamente às pequenas veias e, de maneira geral, contornar ou desviar do leito capilar.

Fontes:
http://143.107.23.244/lido/patoartegeral/patoartedeg5a1.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Arteríola
Tratado de Histologia Veterinária – Samuelson, Don A., 2007.